BR pode entrar contra a China na OMC por antidumping ao frango, mesmo com “compromissos de preços”, equivalente a cotas

Publicado em 08/06/2018 12:16 e atualizado em 09/06/2018 14:01
1907 exibições
A medida chinesa, terceiro maior mercado, contestada pelo setor, imporá taxas de 18,8% a 38,4% aos importadores de aves do Brasil. País quer proteger seus produtores e estaria cedendo às pressões dos EUA, que poderiam atenuar as taxas impostas ao aço/alumínio. Em paralelo, exportadores de suínos podem entrar no México, também na esteira da disputa com os EUA.
Ricardo Santin - Vice Presidente de Mercado da ABPA

Podcast

Entrevista com Ricardo Santin - Vice Presidente de Mercado da ABPA sobre o Protecionismo Chinês ao frango Brasileiro

Download

LOGO nalogo

Nesta sexta-feira (08), o Ministério do Comércio anunciou que a China vai impor medidas antidumping sobre as importações do frango brasileiro. Sendo que os importadores chineses de aves brasileiras vão ter que pagar depósitos de 18,8 a 38,4% do valor das compras a partir de amanhã, 09 de junho.

De acordo com vice-presidente de mercado da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Ricardo Santin, é uma situação que preocupa o setor que ainda não se recuperou dos prejuízos com a greve dos caminhoneiros. “É importante dizer que esta tarifa é provisória. O Brasil não praticou o dumping isso é uma ação política da China, pois é uma proteção a indústria local”, comenta.

Apesar das tarifas e as diminuições temporárias das exportações não vão afetar os fluxos de mercadorias para a China. Tendo em vista que os Estados Unidos também estão impedidos de vender para os chineses por conta da influenza avisaria a um ano atrás. “Não tem concorrente para suprir as demandas do Brasil. Então, nós estamos buscando negociar por que a China é um mercado muito importante para nós”, destaca.

Os efeitos dessas medidas vão ser analisados nas próximas semanas quando parte das mercadorias vão chegarem ao país e os compradores terão que pagar por essas tarifas. Até o momento, a China representa 12% de todo o volume exportado pelo o Brasil.

“Nós estamos analisando para que essa medida não inviabilize a ida para OMC, pois nós temos certeza de que não praticamos dumping. Conversamos com o governo, com o Blairro Maggi e o Secretário de Comércio Exterior e queremos trabalhar com o setor privado e governo para buscar uma melhor solução”, ressalta.  

Suínos   

A ABPA está tentando ampliar as exportações de suínos e avícolas para o México com ações comerciais. As lideranças já estão marcando reuniões para tratar dos protocolos sanitários que permita o Brasil exportar para o país. “O México impôs uma tarifa de 25% aos EUA e é uma boa oportunidade de avançar neste mercado”, diz.

Confira mais informações:

>> China impõe medida antidumping nas importações de frango do Brasil

Por: Giovanni Lorenzon e Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário