Segundo semestre deverá ser de recuperação para suínos e frangos, diz diretor da ABPA

Publicado em 24/07/2018 13:38 e atualizado em 24/07/2018 21:19
1822 exibições
Após 'fundo do poço', setor volta a receber oportunidades, preocupação é com os custos de produção, diante dos preços altos do milho e do farelo de soja. Apesar de defender o livre mercado, ABPA sabe que escalada tarifária que acontece no mundo pode abrir mais portas para o Brasil.
Ricardo Santin - Diretor Executivo ABPA

Podcast

Segundo semestre deverá ser de recuperação para suínos e frangos, diz diretor da ABPA

Download

 

LOGO nalogo

Ricardo Santin, diretor executivo da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), conversou com o Notícias Agrícolas durante o Global Agribusiness Forum (GAF) 2018, sobre o momento que o Brasil vive no cenário global e as consequências para o mercado de proteína animal.

Ele destaca que o setor de aves, suínos e ovos passa por dificuldades, mas que, a médio prazo, o Brasil terá de produzir 40% a 50% a mais do que é feito hoje para poder alimentar o mundo. Desta forma, ainda há muita tecnologia a ser empregada e as perspectivas para a indústria são boas, mantendo a capacidade do país de ser um grande investidor.

O momento de briga comercial traz reflexos que mostram que o Brasil será beneficiado com essas tarifas no mercado de proteína animal. Além disso, o país é livre de influenza aviária e também das pestes clássicas que atingem os suínos.

Do lado de dentro, é preciso driblar questões como o tabelamento dos fretes, de acordo com Santin. Ele espera que o Governo reveja a posição de imposição de multas e salienta que as tabelas foram equivocadas em vários pontos, inviabilizando a utilização de transportes.

Ele acredita também que o segundo semestre deve ser de recuperação para o setor, com acerto de metodologia e equilíbrio, voltando a exportar em patamares mais elevados.

Leia mais:

>> Embrapa: Custo de produção do quilo de suíno vivo sobe 2,32% em junho e chega aos R$ 4,17

E veja ainda uma entrevista exclusiva do ministro Blairo Maggi ao Notícias Agrícolas sobre o peso que a guerra comercial entre China e Estados Unidos pode colocar sobre o frango brasileiro:

>> Na guerra pela soja quem vai pagar o pato é o frango, alerta ministro

Tags:
Por: Carla Mendes e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário