Dia Mundial do Ovo: produção deve bater recorde no BR em 2020, com 53 milhões de ovos produzidos

Publicado em 09/10/2020 14:32 e atualizado em 09/10/2020 15:11 1269 exibições
Ricardo Santin - Presidente do Conselho do Instituto Ovos Brasil
Consumo per capita também deve aumentar no Brasil, chegando a 250 no ano, um aumento entre 7% a 8%

Podcast

Entrevista com Ricardo Santin - Presidente do Conselho do Instituto Ovos Brasil sobre o Dia Mundial do Ovo

Download

LOGO nalogo

Nesta sexta-feira (9), Dia Mundial do Ovo, o presidente do Conselho Administrativo do Instituto Ovos Brasil (IOB) e presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Ricardo Santin, ressaltou a pujança do setor, que neste ano deve bater recorde histórico de produção, chegando a 53 milhões de unidades.

"Isso representa 7% a mais do que o que foi contabilizado no ano passado. Hoje são produzidos 1300 ovos por segundo no Brasil, e o produto está, de alguma forma, presente em 100% dos lares brasileiros", disse.

Segundo ele, o ano de 2020 também deve encerrar com aumento no consumo per capita de ovos, atingindo 250 unidades por pessoa, alta de 7% a 8% em relação a 2019. No acumulado do ano, entre janeiro e setembro, a alta no consumo foi de 6% a 8%.

Os números positivos são uma conjunção de fatores como a constância no aumento da produção, que cresce anualmente, e também pelo aquecimento na demanda durante a pandemia do coronavírus. 

"A pandemia trouxe um pico de consumo no início, depois um recuo, e com a liberação do auxílio emergencial do Governo Federal, o produto voltou a ser demandado. Inclusive, nesse período pessoas que não costumavam consumir ovos, passaram a adotar o hábito, o que qualifica o consumo", explicou. 

Sobre as exportações, o Brasil embarca atualmente menos de 1% da produção, e segundo Santin, isso é porque o consumidor interno demanda muito produto e paga bem por ele, sendo atrativo mantê-lo em solo nacional. 

"Este ano não tivemos gargalo com a exportação, mesmo com a pandemia. Inclusive, conseguimos a abertura para exportar para o México, um dos maiores consumidores do mundo. Já estamos trabalhando para expandir as exportações, articulando para enviar ovos processados para a União Europeia, o que dará ainda mais 'grife' ao ovo brasileiro", afirmou.

 

Por:
Letícia Guimarães
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário