Frio intenso no plantio e baixa umidade comprometem produtividade do tomate em Sumaré (SP)

Publicado em 17/10/2017 11:02 e atualizado em 18/10/2017 09:59
1453 exibições
Na região, produtores iniciam a colheita e a expectativa é de rendimento entre 300 a 350 caixas (de 22 kg) por mil plantas. Custos de produção subiram 20% nesta safra. Agricultores ressaltam dificuldade em controlar a traça do tomateiro e o ácaro. Com preços próximos aos custos, rentabilidade é uma preocupação no setor.

LOGO nalogo

Marcos Ravagnani, presidente da Associação dos Agricultores e Pecuaristas de Sumaré (SP), destaca que a colheita do tomate na região ainda está no início, devendo se intensificar nas próximas semanas, com uma produtividade que deve ser média.

As altas temperaturas dos últimos dias favorecem a maturação, entretanto, a lavoura teve formação na época de inverno e recebeu um frio muito intenso, o que trouxe consequências para a produtividade, resultando em uma planta de médio vigor. A estimativa é que seja uma produtividade inferior ao primeiro semestre, que fechou em torno de 400 a 450 caixas.

Há uma altíssima população de praga de tomateiro e do ácaro. Os produtores têm conseguido manejar, mas estes fatores implicam no encarecimento do custo de produção, que deve ser 20% maior neste semestre.

Os preços estão sendo influenciados pela demanda neste momento. A oferta não será maior em relação aos outros anos, o que irá permitir que os produtores cubram, ao menos, o custo de produção. Tanto os preços pagos quanto os custos giram em torno de R$35.

Por: Fernanda Custódio e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário