Títulos verdes (green bonds) vão despejar R$ 700 Bilhões para produtores adotarem o sistema ILPF

Publicado em 09/06/2021 16:46 e atualizado em 09/06/2021 20:55 949 exibições
Tempo & Dinheiro - Com João Batista Olivi
No T&D

Evento apresenta estudos inéditos e debate como a agricultura brasileira atrai investimentos verdes

Santa Brígida Open Farm reúne pesquisadores e produtores rurais para evidenciar ganhos socioeconômicos e ambientais do ILPF

As porteiras virtuais da fazenda Santa Brígida serão abertas para uma rica troca de conhecimento técnico-científico na produção sustentável de alimentos. Duas abordagens fundamentais darão o tom dos debates: atração de investimentos verdes (os chamados green bonds) e o potencial da agricultura brasileira dentro dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas.

O evento é promovido pela Associação Rede ILPF, entidade formada pela Embrapa, John Deere, Bradesco, Ceptis, Cocamar, Soesp e Syngenta. As apresentações serão divididas em duas noites – 9 e 10 de junho – com análises e divulgação de estudos inéditos. Para acompanhar, basta acessar o portal Santa Brigida Open Farm.

Dentre os participantes estão Cory Reed (Presidente Global Divisão Agrícola, Deere&Company), Tereza Cristina (Ministra da Agricultura do Brasil), Celso Moretti (presidente da Embrapa), Evaldo Vilela (presidente do CNPQ - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e Justine Leigh-Bell (ViceCEO do Climate Bond Initiative).

“Estamos entrando numa nova Era, onde investimentos nacionais e internacionais vão acelerar a adoção de ILPF e reconhecer que a agricultura brasileira é referência mundial em se tratando de produzir e preservar”, afirma Paulo Herrmann, presidente da John Deere Brasil e também da Rede ILPF.

O sistema ILPF (Integração Lavoura-Pecuária-Floresta) é uma técnica de manejo agrícola que contribui para a sustentabilidade ambiental, social e econômica na produção de alimentos.

Um estudo inédito publicado no Journal of Cleaner Production pela pesquisadora Marcela Costa demonstrou que, para alimentar e fornecer energia para cerca de 500 brasileiros, seriam necessários cerca de 70 hectares de ILPF, enquanto em produções convencionais seriam 420 hectares para suprir a mesma demanda.

Fora isso, os custos de produção de alimentos e energia em sistemas ILPF mostraram-se 54% menor que os valores em estratégias convencionais, mostrando que a integração proporciona maior eficiência de uso da terra ao longo do ano.

Por meio do ILPF, o Brasil já conseguiu superar – e muito – as metas estipuladas voluntariamente dentro do Plano ABC (Agricultura de Baixa Emissão de Carbono), parte do Acordo de Paris, de atingir 9 milhões de hectares cobertos com essa tecnologia de produção rural até 2030.

Hoje, o País já conta com 17 milhões de hectares integrados, e agora está buscando alcançar 35 milhões para o período estipulado, praticamente o quadruplo da meta proposta inicialmente. 

De acordo com um levantamento da Climate Bonds Initiative (CBI), mais de R$ 700 bilhões devem ser investidos no Brasil até 2030 pela emissão de títulos verdes. Programação Santa Brígida Open Farm

O evento será dividido em duas noites: em 9 e 10 de junho, das 19h às 22h, no site Santa Brigida Open Farm. Confira a programação completa do evento aqui.

A primeira noite evidenciará como a agricultura brasileira contribuirá com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas até 2030.

Estão confirmadas falas da ministra Tereza Cristina (Agricultura), de Renato Rodrigues (presidente do Conselho Gestor da Rede ILPF), de Marize Porto (proprietária da Fazenda Santa Brígida) e de Maurício Lopes e Iêda Mendes (pesquisadores da Embrapa).

Para finalizar, haverá um debate sobre o conceito de produzir e preservar, com participação da própria Marize Porto, de Guillermo Carvajal (Syngenta), de Luiz Lourenço (Cocamar) e de Gustavo Lunardi (SLC Agrícola), sob mediação de Paulo Herrmann.

Na noite seguinte, o foco serão as oportunidades de investimentos verdes para financiar e impulsionar o desenvolvimento da agricultura sustentável no Brasil. Palestrarão Leisa Souza e Justine Leigh-Bell (Climate Bond Initiative), José Pugas (CEPTIS/Agro) e Aurélio Pavinato (SLC Agrícola).

Fechando o evento, haverá um painel especial sobre a indicação de Alysson Paolinelli para o prêmio Nobel da Paz 2021. Além do próprio Paolinelli, estão confirmadas as presenças de Roberto Rodrigues (FGV Agro e embaixador especial da FAO), Durval Dourado (diretor da ESALQ-USP), Evaldo Vilela (presidente do CNPQ), e Celso Moretti (presidente da Embrapa), também sob moderação de Paulo Herrmann.

Fonte:
T&D/Ascom Johon Deere

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário