Preço do milho perde força, com novas perspectivas para a oferta, incertezas para exportação e compradores mais cautelosos

Publicado em 18/08/2016 12:31 e atualizado em 18/08/2016 15:26
1149 exibições
Na praça de Campinas-SP, cotações recuam de R$47 para R$43 em agosto, mas movimento de queda parece ter atingido um piso. Disputa entre compradores e vendedores deve continuar

O mercado de milho sofre uma pressão nos preços no mês de agosto, um cenário diferente do primeiro semestre deste ano. De acordo com Rafael Ribeiro, analista da Scot Consultoria, houve queda nos preços em maior parte das praças devido a um mercado mais travado, com comprador resistindo a pagar mais.

Em Campinas, os negócios ocorriam entre R$47 a R$48 por saca de 60kg no final de julho e no começo de agosto. Agora, este preço se encontra de R$43 a R$44, tendência que, segundo o analista, deve se manter nos próximos meses.
Mesmo com os preços mais baixos, os compradores aguardam novas quedas. Disponibilidade na temporada é baixa, portanto, o analista aponta que este já é um bom momento para comprar.

O Brasil, sobretudo os estados do Sul, importou cerca de 1 milhão de toneladas de milho, o que colabora com a menor pressão de alta no mercado interno. As exportações encontram uma redução no volume devido a queda do câmbio e a revisão da produção de milho dos Estados Unidos, que se encontra em alta.

Por: Aleksander Horta e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário