Para evitar surpresas no mercado, comprador de milho pode garantir saca a R$ 32 pagando R$ 1 de prêmio

Publicado em 23/01/2017 17:11 e atualizado em 23/01/2017 18:16
3072 exibições
João Batista Olivi entrevista Marcos Hildenbrandt, operador do mercado de opções a futuro. Ele que alerta aos compradores que o momento é de fazer call e afastar o risco de virada nos preços.
João Batista Olivi entrevista Marcos Hildenbrandt / opções a futuro no miho

O jornalista João Batista Olivi, do Notícias Agrícolas, conversou com Jânio Zeferino, ex-diretor do Departamento de Café do Ministério da Agricultura e com Marcos Hildenbrandt, da Foco MT, sobre o mercado de opções, uma alternativa para quem deseja travar preço e garantir parte dos lucros da safra.

Enquanto Zeferino falou da importância dos produtores em travar preços para o café por meio do mercado de opções, Hildenbrandt realizou um alerta para este tipo de operação no mercado do milho, mas visando o outro lado da moeda: confinadores, granjeiros e fábricas de ração que precisam realizar suas compras e garantir lucro.

Com a estimativa no momento de um mercado futuro de R$31 em Campinas (SP), R$21 em Rondonópolis (MT) e R$16 em Sinop (MT), preços que são considerados interessantes para quem está na ponta compradora, o mercado de opções pode ser um instrumento mais barato do que comprar muito milho na época da colheita e deixar estocado. "No caso da opção, não existe a necessidade de comprar um volume tão grande", explica.

Hildenbrandt aponta que não necessariamente a empresa precisa realizar o call de toda a necessidade em um só momento. "Como o mercado sinaliza um preço mais baixo, já deixa o cadastro pronto, faz um contrato para ver como funciona e vai fazendo essa operação aos poucos", explica. "Se acontecer desse preço subir muito, boa parte já está garantida a compra nos preços que o mercado futuro sinaliza hoje".

Em qualquer um dos momentos nos quais a call estiver bastante valorizada, os compradores podem sair de suas posições. Assim, eles já podem garantir um pouco de lucro nesta operação.

No site da BM&F, várias corretoras podem responder às dúvidas dos produtores interessados. Uma vez dominada essa ferramenta, existem inúmeras estratégias que podem ser utilizadas.

Acesse o site clicando aqui

Tags:
Por: João Batista Olivi e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • joão Lunardi SÃO JOSÉ DOS QUATRO MARCOS - MT

    Quero fazer uma observação sobre o assunto onde o amigo entrevistado fala sobre proteção de preço comprando uma call por 2,00 reais nesse momento, para proteger uma compra de saca de milho a 32,00 em setembro 2017 ... e caso o prêmio subir para 5,00 até o vencimento , vc venderia essa call e liquidaria a posição... Nesse caso vc lucraria 3,00 bruto por saca e tornaria a ficar descoberto e torcendo pro milho cair . Porém, se por um motivo qualquer o milho voltasse a subir para 43,00 em setembro 2017 vc estaria "pagando" 40,00 por conta do prêmio ganho numa operação feita anteriormente. Nota que , mesmo ganhando 3,00 bruto de premio , acabei pagando 7,00 mais caro pelo saca de milho por ter especulado. Qualquer tomada de decisão de proteção de preço a futuro não deixa de escapar das expectativas do movimento do mercado causado por muitas varianças que estão fora do controle direto do ser humano (no caso das commodities agrícolas o fator principal é o clima) . Nesse caso vc se torna um especulador sem mesmo se dar conta. Agora , considero muito importante e indispensável a ferramenta de proteção de preço quando se tem uma referencia ou seja , no caso do produtor fará uma PUT baseado nos seus custos e no caso da industria baseado em sua venda com valores agregados através de contratos de venda antecipado . Obrigado pela oportunidade democrática de discutir um assunto muito importante . Abraço e tenham um bom dia

    0