Mercado de milho vai ter uma safra em equilíbrio,com preços levemente remuneradores

Publicado em 30/01/2017 16:56
1081 exibições
Mercado de milho vai ter uma safra em equilíbrio,com preços levemente remuneradores,afirma Anderson Galvão, da Celeres - Uberlândia
Confira a entrevista de Anderson Galvão - Analista - Celeres Consultoria

Podcast

Mercado de milho vai ter uma safra em equilíbrio,com preços levemente remuneradores

Download

Nesta segunda-feira (30), o mercado na Bolsa de Chicago trabalha no vermelho para as principais commodities, ao mesmo tempo em que o dólar, em comparação com o real brasileiro, está sendo cotado a R$3,11.

Anderson Galvão, analista da Celeres, vê essa oscilação como uma correção, principalmente após os preços do farelo de soja terem subido muito em decorrência de uma especulação climática. Ele lembra que, "tirando problemas pontuais, sobra soja no mundo".

Para ele, o fator Trump ainda é uma grande incógnita, mas, "a julgar pelas decisões recentes, a situação é favorável para a agricultura brasileira". A saída dos Estados Unidos do Acordo Transpacífico (TPP) também pode ser benéfica para o Brasil, que poderá ter condições de participar de forma mais ativa neste novo acordo comercial.

Mercado do milho

O analista também acredita que o ano de 2016 "ensinou muito para o produtor". No que diz respeito ao mercado do milho, ele lembra que o ano passado foi de bons preços após uma quebra de safra dramática, mas que muitos produtores não aproveitaram esses preços. Neste ano, o Brasil caminha para uma boa safra do cereal, mas com a demanda global e doméstica aquecida, os patamares de preços devem continuar remuneradores, mas longe desses preços excepcionais.

Em meio às notícias de que os Estados Unidos também devem plantar menos milho, dando preferência para a soja, também há uma movimentação positiva para o milho brasileiro. Galvão aponta que este será um ano de equilíbrio tanto para o produtor quanto para o consumidor de milho, com oportunidades aparecendo a partir do final de agosto, no segundo semestre.

Com isso, as exportações podem chegar a atingir o recorde histórico de 30 milhões de toneladas, contra 22 milhões de toneladas no ano passado.

Preços futuros e opções

Na última análise realizada pela Celeres, os preços para julho, agosto e setembro de 2017 devem ficar entre R$18 a R$19 na região da BR 63 (Lucas do Rio Verde e Sorriso - MT), R$26 a R$26 na região de Jataí (GO), R$30 a R$32 no oeste e no norte do Paraná e R$35 em Campinas (SP).

Os preços nas praças estão acima do preço mínimo, dentro de um cenário no qual se caminha para uma boa safrinha, com excelente produtividade e também muitos agricultores que não venderam seu milho, alguns até mesmo atravessando o ano com mais de 70 mil sacas de milho no estoque.

Ao mesmo tempo em que o analista recomenda que o plantio não seja realizado de forma muito tardia ou com baixo potencial de produtividade, há de se manter um equilíbrio entre produtividade e custo da lavoura. Com isso, uma ferramenta como o mercado de opções, que pode vir a reduzir o risco, é bem-vinda. "Opção é igual seguro de automóvel. Tem só que considerar se o prêmio cabe no seu bolso e está sendo razoável", aponta.

Por: João Batista Olivi e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário