Frete trava negócios com o milho safrinha e safra futura da soja na região de Querência (MT)

Publicado em 01/08/2018 11:01 e atualizado em 01/08/2018 15:24
1755 exibições
Saca do milho é cotada a R$ 22,00 e produtores seguram vendas. Negócios são pontuais e atendem confinamento local. Com falta de chuvas, produtividade do cereal caiu 30% nesta temporada. Na soja, apenas 20% da safra 2018/19 foi travada até o momento. Atraso na entrega dos fertilizantes também preocupa agricultores na região.
Osmar Frizzo - Presidente do Sindicato Rural de Querência/MT

Podcast

Entrevista com Osmar Frizzo - Presidente do Sindicato Rural de Querência/MT sobre o Acompanhamento de Safras - Milho

Download

 

LOGO nalogo

O impasse em relação ao tabelamento dos fretes continua travando as negociações no mercado doméstico. Em Querência, em Mato Grosso, além do milho safrinha, recém colhido, a comercialização da soja da safra 2018/19 está travada. Até o momento, os produtores conseguiram fixar somente 20% da produção futura.

"É um índice muito pequeno, já que os produtores precisam travar mais para garantir os custos das lavouras. Isso sem contar o atraso na entrega dos fertilizantes e o tempo está ficando curto. Esse cenário também pode afetar a produtividade plantações de soja", explica o presidente do Sindicato Rural do município, Osmar Frizzo.

Além disso, cerca de 20% da safra de soja colhida na temporada 2017/18 ainda está armazenada na região e precisa ser negociada. No caso da safrinha de milho, alguns contratos foram realizados antecipadamente com valores entre R$ 18,00 a R$ 20,00 a saca. Atualmente, a saca do cereal é cotada ao redor de R$ 22,00 na região.

"Porém, os produtores estão aguardando melhores oportunidades para negociar o produto. Temos acompanhado negócios pontuais, para atender a demanda do confinamento na localidade. Os fretes mais longos, para os portos, não estão acontecendo", pondera Frizzo.

Em Querência, os produtores rurais já finalizaram a colheita do milho safrinha nesta temporada. E, diante da ausência de chuvas, a produtividade registrou uma queda de 30%, com uma média de 70 sacas do grão por hectare. No ano anterior, o rendimento médio foi de 100 sacas de milho por hectare.

Em relação à estocagem do cereal, a liderança ainda reforça que os produtores investiram em silos bolsa nesta safra e os casos de milho a céu aberto são pontuais na região.

Por: Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário