Melhor ano da história para produtor de milho, mas péssimo para granjeiros de Santa Catarina, diz Faesc

Publicado em 21/01/2020 11:07
1682 exibições
Saca do cereal é negociada por R$ 55,00 em Santa Catarina e perdas na safra verão do estado devem piorar situação de abastecimento. Quem precisa de milho terá que aumentar as importações da Argentina e do Paraguai.
Enori Barbieri - Vice Presidente da FAESC

Podcast

Faesc aponta melhor ano da história para produtor de milho, mas falta de abastecimento para cadeia de proteína animal

Download

LOGO nalogo

A falta de chuvas para as lavouras da safra verão em Santa Catarina deve agravar ainda mais a situação do abastecimento de milho para o setor de proteína animal do estado, que já vive escassez do cereal contabiliza aumento nos custos de produção.

Segundo o vice-presidente da FAESC (Federação da Agricultura do Estado de Santa Catarina), Enori Barbieri, a safra de soja já deve ter perda de 15% no estado, enquanto o milho terá queda entre 15 e 20% nas lavouras convencionais e de até 40% no milho silagem.

Quem precisa comprar milho em Santa Catarina desembolsa R$ 55,00 a saca, valor que, de acordo com Barbieri, ainda é compatível com a venda do produto final dos produtores de aves e suínos, mas os deixam trabalhando sem nenhuma rentabilidade, porque os insumos subiram muito.

Aliado aos problemas internos do estado, a safra de milho verão no Rio Grande do Sul também terá queda de produção, o que deixará mais difícil adquirir o cereal em Santa Catarina e deve ampliar o índice de importação da Argentina e do Paraguai.

Confira a entrevista completa com o  vice-presidente da FAESC no vídeo.

Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário