Produtor consegue trabalhar no disponível e já pede R$ 90 pela soja

Publicado em 04/05/2016 17:54
6671 exibições
José Pedro Libardi produz no Tocantins e faz a lavoura sem necessitar de empréstimos bancários. Com armazenagem na fazenda, vende só no melhor preço do mercado.

4 comentários

  • Jocelino ribeiro da silva Aguas Belas - PE

    Realmente uma entrevista singular. Um olhar de otimismo nesse momento de incertezas.

    0
    • GUILHERME FREDERICO LAMBASSIS - SP

      Uma analise lógica e precisa da situação do país

      0
    • CARLO MELONISAO PAULO - SP

      Seis meses atras' escrevi neste espaço prevendo soja a R$ 90

      1
    • SERGIO RICARDO DOS SANTOSCUBATÃO - SP

      boa tarde! temos varredura contendo NPK, apenas R$350,00 por tonelada contato com sergio 13.988417474 retirada do produto na cidade de Santos teor 06 10 10

      0
  • Marcio David Tupanciretã - RS

    Meu conterrâneo de Tupanciretã, capital gaúcha da soja, quanto orgulho do nosso povo...

    1
  • elizeu jose deoliveira bom jesus - PI

    ....bela entrevista com o produtor pedro libardi... seria um sonho se um dia pelo menos uma parte dos nossos produtores chegassem a esse patamar... parabens... (Bambui, MG, terra do meu pai Roque Medeiros)

    1
    • SERGIO RICARDO DOS SANTOSCUBATÃO - SP

      boa tarde! temos varredura contendo NPK, apenas R$350,00 por tonelada contato com sergio 13.988417474 retirada do produto na cidade de Santos teor 06 10 10

      0
  • João Alves da Fonseca Paracatu - MG

    Ah, compadre meu Quelemém João Batista, comento esta história do Sr. Pedro Libardi, gaúcho aí do Tocantins, com um gosto prazeroso... e o senhor haverá de lembrar quando da nossa viagem de retorno de Paracatu para Brasília, eu comentei exatamente isto (que custeio agrícola deveria ser extinto)..., deveríamos, isso sim, destinar esta subvenção para o seguro agrícola e principalmente para o mercado de opções a futuro..., aí sim sobrariam na atividade somente os profissionais que cuidassem do seu maior patrimônio -- que se chama solo..., ou seja, aqueles que soubessem explorar as vantagens comparativas de sua região e não aqueles que só querem aproveitar as boas marés e quando chegam os atropelos, largam tudo e partem para uma nova aventura ... Os nossos impostos deveriam ser usados para criar uma infraestrutura digna e o resto deixem conosco... Parabéns a todos brasileiros parceiros desta nobre missão... Saudações mineiras, uai!

    4
    • PAULO ROBERTO RENSIBANDEIRANTES - PR

      Sr. João, não me lembro qual governo que tirou de seu plano agropecuário o financiamento de aquisição de bovinos. Na época foi uma gritaria só, depois de alguns anos a agricultura penava sob o manto das políticas públicas e, o pecuarista que era "REALMENTE" o dono da sua boiada via as crises passarem de camarote. Não sou nenhum economista, mas vivi nos tempos que se matava uma boiada no frigorifico e, recebia uma nota promissória rural com vencimento para daqui a 120 dias. O frigorifico BORDON era "especialista" em concordatas, imagine uma planta que abate 1.500 cab./dia, qual o volume de crédito em 120 dias. Eh! Assim o Brasil foi sendo colonizado por esses "bandidos", sim essa é a visão daqueles que abriram os estados do Centro-Oeste, Norte, enfim... que promoveram a atual realidade de um BRASIL RURAL DO SÉCULO XXI.

      0
    • PAULO ROBERTO RENSIBANDEIRANTES - PR

      cont.: Quando usei o termo "bandidos", na realidade deve-se entender como "heróis", pois além de estarem abrindo novas áreas, onde esta realidade só é relatada pelos pioneiros. Era de uma estrema "fartura"...Faltavam todos os serviços estatais, saúde, educação, infra estrutura e, ainda o fruto de seu trabalho era "engolido" em processos judiciais como concordatas de empresas, cujos empresários eram protegidos por tais medidas. Com todas essas mazelas do momento atual...ALGUÉM TEM NOTICIA QUE ALGUM PRODUTOR RURAL PEDIU "RECUPERAÇÃO JUDICIAL"???

      1