Petróleo: Apesar de nova variante da Covid-19, consultor não vê reversão de baixa para os preços

Publicado em 29/11/2021 16:40 e atualizado em 29/11/2021 18:00 850 exibições
Flávio Gualter Inácio Inocêncio - Consultor da Helios Advisory
Mercado teve quedas de mais de 10% na última 6ª feira, porém cenário ficou mais claro neste início de semana sobre cepa sul-africana; consultor não acredita em novos isolamentos tão restritivos como no último ano

Podcast

Entrevista com Flávio Gualter Inácio Inocêncio - Consultor da Helios Advisory sobre o mercado do petróleo

 Logotipo Notícias Agrícolas

O consultor da Hetios Advisory, Flávio Gualter Inácio Inocêncio, afirmou nesta segunda-feira (29), em entrevista para o Notícias Agrícolas, que os preços do petróleo vão se manter elevados. Na última sexta-feira (26), o tipo Brent e o WTI registraram quedas de mais de 10% nas bolsas externas devido aos temores relacionados à variante ômicron da Covid-19 e possíveis impactos na demanda.

Com as notícias sobre o vírus, o mercado se antecipou a uma possível diminuição na procura agregada pelo combustível, o que Inocêncio avaliou como exagerado. Tanto é que nesta segunda-feira os preços voltaram a subir com ajustes técnicos e assimilação das informações sobre a nova cepa do vírus.

Na União Europeia, os países costumam responder de maneira conjunta, e até mesmo o Reino Unido toma posições similares. Mas desde 2020 tem sido unilateral. Segundo o especialista, tudo vai depender da evolução do vírus e como vai ser a resposta da população vacinada em cada país. O Reino Unido relaxou as medidas de restrição, em outros países, como Itália, Espanha, Alemanha e França, elas ainda são mais rigorosas. Os confinamentos, caso ocorram, serão mais curtos, segundo Inocêncio.

A princípio, como destacou o consultor, além da variante, que foi o fator mais importante para a queda dos preços, os Estados Unidos anunciou que irá utilizar as suas reservas estratégias de petróleo, a fim aumentar a oferta do combustível. Nesta semana, haverá uma reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) para decidir se realmente vai acontecer um aumento na produção, em torno de 400 mil barris por dia.

Inicialmente, era esperado que ocorresse o aumento da produção, mas agora, caso aconteçam restrições por conta da variante ômicron, a demanda poderá ser enfraquecida. Por outro lado, existe na Europa uma possível disparada do preço do gás natural, principal matriz enérgica do continente, se o inverno for muito rigoroso, como apontou Inocêncio. Isso pode provocar um efeito de substituição na produção de eletricidade.

“Com o aumento do gás natural, aumenta o preço do petróleo. A procura se mantém grande, a questão é saber se as medidas que os países vão adotar serão semelhantes às do inverno passado, quando ocorreram grandes restrições, mas sem vacinação”, disse o consultor.

De acordo com o consultor, com base nos cenários de preço, não fosse a variante, a tendência seria o preços do petróleo passar dos US$ 80, mas com a venda e a variante, ele podem até ter leves quedas. “Estou do lado dos analistas que acreditam que pode abaixar em algum momento, mas vai subir, a tendência é de alta. Mas vai depender das medidas que os estados adotarem”, explicou.

Por:
Carla Mendes, Jhonatas Simião e Igor Batista
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário