Vamos avançar e sair da crise, ou continuar nas mãos dos vendedores de ilusão

Publicado em 12/12/2016 11:44 e atualizado em 12/12/2016 17:39
648 exibições
Vamos avançar e sair da crise, ou continuar nas mãos dos vendedores de ilusão
Confira a entrevista de João Batista Olivi - Jornalista

O jornalista João Batista Olivi, do Notícias Agrícolas, comentou a respeito das pesquisas para a eleição presidencial de 2018 e também das recentes denúncias feitas por meio da delação da Odebrecht e também ao ex-presidente Lula na Operação Zelotes.

Ele pede, em seu comentário, "toda a atenção aos salvadores da pátria, que esperam o melhor momento para continuar vendendo ilusões". Lembra, também, que o cenário é grave - não somente de uma recessão, mas de um "cemitério", como ele define.

Para isso, ele cita os exemplos de Jair Bolsonaro, que é visto como o salvador da direita, com uma tendência de seguir o exemplo de Donald Trump nos Estados Unidos e também de Marina Silva, que ressurge no cenário e lidera as pesquisas realizadas pelo Datafolha em segundo lugar no primeiro turno, logo atrás de Lula e vencendo em todos os cenários projetados de segundo turno.

Ele lembra também que a delação da Odebrecht poderá descartar cerca de 50 personagens "fora do baralho" na política brasileira, caso sejam transformados em réus. E que esta, também, foi a primeira delação de 77.

Com a liderança de Lula no primeiro turno, João demonstra também uma preocupação com "a esquerda vencendo de novo do país". Ele aponta que a denúncia feita ao ex-presidente na Operação Zelotes foi ofuscada pela lista da Odebrecht.

"O alerta para todos é que a disputa não é entre as pessoas, é saber se vamos ser socialistas ou capitalistas, onde o mérito é colocado em primeiro plano", diz João. Ele destaca que o posicionamento do Notícias Agrícolas é de defensor do livre-mercado e não do capitalismo de estado.

Jair Bolsonaro

João comenta também uma entrevista do General Villas-Bôas à jornalista Eliane Catanhêde, no Estadão, na qual o comandante do exército diz que há chance zero de uma volta dos militares ao poder, destacando que os militares estão "sempre a postos para cumprir a Constituição".

Por outro lado, o general também disse na entrevista que Jair Bolsonaro "defende os interesses do exército". Se comportando por vezes como extrema direita, o candidato tem simpatia de uma parcela da população brasileira. No entanto, João diz que "ele não serve porque não se volta contra o gigantismo do estado brasileiro. Ele não defende o livre-comércio e não defende o capitalismo".

Economia brasileira

A pesquisa Focus, feita pelo Banco Central com mais de 50 entidades financeiras brasileiras, aponta que o Brasil não está mais em recessão e, sim, parado. O desemprego precisa de três anos para se recuperar - outros economistas dizem 10 anos.

Os ajustes são duros, mas a inflação já começa a ser dominada, como comenta João. Até o momento, a inflação já caiu para 6,5% e deve chegar, até o final do próximo ano, abaixo da meta de 4,5%.

"Estamos suportando com nariz tampado a permanência de Renan [Calheiros] no Senado para que amanhã a gente consiga aprovar a PEC do teto dos gastos. Temos que suportar, passar a PEC, não podemos gastar mais do que recebemos", comenta João.

POEIRA, no blog de Josias de Souza

Duke/O Tempo

– Charge do Duke, via O Tempo.

 

 

 

 

 

 

 

 

Por: João Batista Olivi
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

    É preciso derrotar a agenda cultural esquerdista, isso é fato..., abortismo, feminismo, gaysismo, ambientalismo, e Jair Bolsonaro certamente representa isso. Por outro lado, como já disse uma vez aqui, não ponho minha mão no fogo por ninguém, mas até onde sei Jair Bolsonaro defende não só o livre comércio como também o agronegócio e como ninguém mais no Brasil. Dizem que ele é de extrema direita por ter coragem de tocar em assuntos que a esquerda não quer nem discutir, como a paralisação das demarcações indigenas, Jair Bolsonaro é o terror dos esquerdistas. Para quem quiser saber tem várias entrevistas dele falando sobre economia e livre mercado no you tube ou na página dele no face book. Aqui: https://www.youtube.com/watch?v=3fZKt4kC8bo

    1
    • Ronaldo Rego Petrópolis - RJ

      Sabemos que essas "pesquisas" pre-eleitorais são fajutas.Exemplo? a vitória de Trump, que dava a Hillary na frente. Os "economistas" NUNCA acertaram em sua previsões. LULA pode influenciar alguns, mas jamais terá condições de assumir um governo. Ninguém quer a volta ao passado nebuloso do P T. Se insistirem corrompendo a mídia e parte da sociedade, correremos o risco do Brasil se despedaçar rompendo-se a união federalista. Isso é guerra civil mesmo. Quem quer correr esse risco colocando de volta ao poder esse taumaturgo comunista enlouquecido? Nem sua "criatura" , por razões óbvias. Portanto essa análise acima é tendenciosa e mostra bem ´nível de infiltração marxista nos boletins econômicos.

      0
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Eu enxergo a situaçao atual dos grandes jornais, tais como a Folha e o Estadao, como desesperadora quase pre-falimentar-----A publicidade caiu assustadoramente, os leitores assinantes tambem, porque a internet e' mais rapida, e o jornal so traz noticias velhas---No contato e na observaçao você percebe que esse pessoal esta' atravessando uma situaçao de pre-afogamento-----A situaçao e' tao fraca que e' instintivo vender pesquisas da DATA-FOLHA mas o pior e' observar que a grande maioria ainda cai na labia desses embusteiros que vendem a mae para sobreviver--Algumas semanas atras a popularidade do Lula havia caido para 15% de repente por manipulaçao sobe para 25%---Acreditem parte da midia e' delinquente e so' atua no sentido de manobrar opinioes--

      1
    • carlo meloni sao paulo - SP

      As pesquisa divulgadas são MANIPULADAS----Coletam 5000 pesquisados, mas a única pessoa que condensa a pesquisa, manda para o cesto do lixo a metade e so' aquelas que interessam pra ele----NINGUEM FICA SABENDO DA VERDADE SOMENTE UMA PESSOA , OU SEJA AQUELA QUE SOMA OS RESULTADOS SABE PORQUE AS 5000 PESQUISAS VIRARAM 2500--

      2