Fundos de Previdência Privada no Brasil tem R$ 1 tri para investir e Agronegócio pode se tornar um grande aliado

Publicado em 16/09/2019 14:41 e atualizado em 16/09/2019 15:48
1066 exibições
O economista Antônio da Luz, da Farsul, explica como a redução da taxa selic pode estimular a participação dos Fundos no financiamento do agro
Antônio da Luz - Economista - FARSUL

Podcast

Entrevista com Antônio da Luz - Economista - FARSUL sobre a Economia

Download

LOGO nalogo

Os fundos de previdência Privada no Brasil contam com 17 trilhões de dólares que precisam ser investidos e o setor do agronegócio pode ser um aliado. Além disso,  a redução da taxa selic pode favorecera participação dos fundos no financiamento destinado ao agronegócio.

Segundo o economista da Farsul, Antônio da Luz, os juros da taxa selic devem reduzir 0,50% na próxima reunião do cupom e 0,50% antes de terminar o ano, ou seja, encerrando com 5,00%. “A redução das taxas de juros é um movimento global, na qual tem 17 trilhões de dólares aplicados com taxas de 0,00%. Em alguns países os juros são negativos, como no caso do Japão, se você aplicar R$ 1.000,00 e passar um ano o saldo será de R$ 980,00”, comenta.

Por isso é importante emitir a Cédula de Produto Rural (CPR) em dólar para que os investidores estrangeiros invistam no Brasil.“O único jeito de trazer esses 17 trilhões para o agro brasileiro tem que emitir em dólar, já que ninguém vai colocar o dinheiro no Brasil para correr risco cambial e temos que tem CPR em dólar”, aponta.

Caso as projeções da taxa selic se confirmem até o final de ano, os juros da selic para a CDI que os produtores vão pagar é de 326%. “Nós estamos pagando 326%, enquanto o mercado financeiro, as boas aplicações pagam 120%. O pessoal dos fundos de pensão ficou babando quando descobriram isso”, conta.

Por: Aleksander Horta e Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário