Coronavírus: Ministério da Agricultura trabalha para consolidar relações comerciais internacionais iniciadas durante pandemia

Publicado em 08/05/2020 09:45 e atualizado em 08/05/2020 16:06 1132 exibições
Flávio Bettarello - Secretário-Adjunto de Comércio e Relações Internacionais do MAPA
Por conveniência ou emergência alguns mercados se abriram mais rapidamente para os produtos brasileiros e preocupação do ministério é de que isso possa não ser mantido no pós-crise. Aumento do protecionismo também é outro ponto de atenção.

Podcast

Entrevista com Flávio Bettarello sobre os Impactos do Coronavírus no mercado internacional

Download

LOGO nalogo

O Ministério da Agricultura, desde o início da pandemia do coronavírus, articulou ações para que o abastecimento interno fosse mantido dentro da normalidade, bem como as relações comerciais com os parceiros comerciais internacionais do Brasil. 

Mais de 20 novos mercados foram abertos durante este momento de crise, porém, há uma preocupação do ministério, como explica seu secretário adjunto de Comércio e Relações Internacionais, Flávio Betarello, de que tenham sido aberturas apenas por conveniência ou necessidade emergencial. 

"Temos conseguido avanços em praticamente todas as regiões geográficas do mundo. Mas temos o receio de que isso seja somente temporário (...) Nossa preocupação é que isso se reverta à normalização após a pandemia", diz. 

Assim, ele destaca o trabalho da pasta para que estas relações se tornem mais consistentes e de longo prazo, de forma que sustente a diversificação de clientes e da pauta exportadora do agronegócio brasileiro. 

O coronavírus e as novas necessidades do mundo podem mudar algumas referências, ainda como relata o secretário em sua entrevista ao Notícias Agrícolas, e aumentar o protecionismo de algumas nações, o que também vem sendo um ponto de atenção para o ministério, também no pós-crise. 

Abaixo, veja a íntegra de um relatório do Ministério da Agricultura sobre o atual momento das relações do agro do Brasil com seus parceiros comerciais e o que está previsto para daqui a diante:

 

 

Por:
Carla Mendes | Instagram @jornalistadasoja
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário