Chuvas irregulares atrasam o plantio da safra 2015/16 no Oeste da Bahia

Publicado em 17/12/2015 08:57
Cerca de 90% da área já foi semeada com a cultura da soja. O restante deverá ser cultivado fora da janela ideal de semeadura. Lavouras precisam de chuvas para a germinação das plantas. Previsão indica precipitações para o final de semana. Ainda assim, rendimento médio da cultura é estimado em 56 scs/ha. Algodão ainda está sendo plantado.

 

O atraso e a irregularidade da chuva no Matopiba nesta safra 2015/16 têm prejudicado o andamento do plantio da soja no Oeste da Bahia. De acordo com a Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), o inicio da semeadura foi atrasado em 15 dias devido à falta de precipitações.

Segundo o assistente de agronegócio da Aiba, Luiz Stahlke, até o momento a região semeou 90% dos 1,55 mi hectares esperados para essa temporada. Porém, essas lavouras ainda precisam da chuva para estabelecer a cultura, haja vista que muitos produtores plantaram na terra seca para não passar saiu muito da janela de plantio.

"O ideal é finalizar a soja no mês de novembro, então nós já entramos a mais de 15 dias em dezembro, o que não é ideal para a produtividade", ressalta Stahlke afirmando que a definição da produtividade dependerá do volume de chuvas nos próximos dias e em janeiro de 2016.

A Associação projeta que o rendimento médio das lavouras na safra 2015/16 deve ficar em torno de 56 sacas por hectare, muito em função do incremento de área em 130 mil hectares em relação à safra passada.

De acordo com Stahlke as previsões climáticas indicam chuvas a partir do dia 20, o que deve favorecer o desenvolvimento da cultura, e a segunda quinzena de janeiro será realizado um novo levantamento do Aiba para estimar as condições das lavouras.

Milho e Algodão

Assim como a soja, a cultura do milho tem sua janela ideal de plantio em novembro, por isso a falta de chuva também prejudicou o andamento do plantio e o desenvolvimento das lavouras instaladas. Estima-se 130 mil hectares plantados, porém com um aumento de produtividade, chegando a 163 sc/ha, enquanto que na safra passada este número foi de 135sc/ha.

No caso do algodão, o período de semeadura para região é dentro do mês de dezembro, o que deixa os produtores em uma situação melhor do que no caso da soja e do milho. "Temos um volume pequeno de 10% da pluma semeada, que após essa chuva que está prevista devemos acelerar o plantio para finalizar até 10 de janeiro", explica o assistente.

As projeções para o algodão são de 240 mil hectares semeados, com produtividade média de 270 arrobas por hectare.

Tags:
Por:
Fernanda Custódio e Larissa Albuquerque
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

1 comentário

  • CESAR AUGUSTO SCHMITT Maringá - PR

    Não é isso que a gente escuta dos produtores, é bem ao contrário. Lavoura com 56 saca/h é utopia no Brasil de hoje, sonho de " marketero" que não distingue um pé de soja de um eucalipto....

    0