Com clima favorável, MT espera colher produção recorde de soja nesta safra

Publicado em 29/12/2016 14:01
1468 exibições
Apesar da quebra registrada na temporada 2015/16, nas safras de soja e milho no estado, preços mais altos amenizaram parte dos prejuízos dos produtores. No caso da nova temporada, 47% da produção de soja já foi negociadada antecipadamente. No milho, índice é de 30%, de uma produção estimada em 25 milhões de toneladas.
Confira a entrevista de Daniel Latorraca Ferreira - Gestor do Imea - Cuiabá/MT

Após um ano de muita dificuldade, com quebras registradas na safra 2015/16, o estado do Mato Grosso caminha para um ano positivo no agronegócio. Os preços mais altos, influenciados por um dólar também mais alto, amenizaram parte dos prejuízos dos produtores, tanto na soja quanto no milho.

A nível de estado, o valor bruto da produção teve, inclusive, um crescimento em relação ao ano de 2015, como comenta Daniel Latorraca Ferreira, superintendente do IMEA. Os produtores com pouca produtividade, por sua vez, não tiveram as lavouras salvas pelo preço, mas aguardam por um melhor ano nesta safra. Estes produtores são, em grande parte, da região nordeste do estado.

Com a lavoura de soja completamente plantada, a colheita deve se iniciar nesta semana no estado. A perspectiva de clima é melhor - mesmo que algumas regiões ainda enfrentem problemas com excessos e ferrugens. A produtividade para o milho deve aumentar em 32% e a soja também deve crescer em produtividade, já que não há mais espaço para crescer em área.

Houve ainda uma escassez de crédito para os produtores, aumentando, desta forma, as operações de barter para cobrir o dinheiro que não veio. O custeio total da produção de Mato Grosso está avaliado em R$17 bilhões.

A comercialização da soja se encontram em 47%, mas a situação que preocupa ainda é a do milho, que está com 30% negociado. Isso se deve, segundo o superintendente, a um movimento de cautela, já que na última safra houveram problemas de quebra de contrato na hora da colheita.

O conselho dele para os produtores é que conduzam a lavoura e fiquem de olho no mercado. "Para fechar a comercialização de soja, o produtor tem que ficar atento às oscilações do dólar", diz. Ele lembra que a política internacional pode gerar efeitos que não podem ser perdidos pelos produtores.

 

Tags:
Por:
Fernanda Custódio e Izadora Pimenta
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário