Soja em Chicago se recupera no final da sessão e mostra força em patamares acima de US$10,50/bushel

Publicado em 24/01/2017 17:17
1860 exibições
Dia de fortes emoções em Chicago com vários fatores técnicos e fundamentais provocando oscilações significativas nos preços da soja
Confira a entrevista de Vlamir Brandalizze - Analista de Mercado

Nesta terça-feira (24), o mercado da soja teve muitas variações na Bolsa de Chicago (CBOT), encerrando com uma leve alta de um pouco mais de 1 ponto. De acordo com Vlamir Brandalizze, da Brandalizze Consulting, esse foi um "dia de emoções para os investidores".

O mercado começou o dia trabalhando com 7 a 11 pontos positivos, motivado por notícias de fundamentos, com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) anunciando a venda de 275 mil toneladas de soja. O México, que não é um tradicional comprador, levou 112 mil toneladas, o que fez o mercado olhar para cima.

Depois, as notícias de uma melhora no clima da Argentina e a influência da saída dos Estados Unidos do acordo Transpacífico, anunciada por Donald Trump, trouxe algum reflexo para 5 a 7 pontos negativos, que não conseguiram quebrar a barreira dos US$10,50/bushel no spot. Logo após, o mercado começou a se recuperar e veio mostrando um mercado calmo no final do dia.

Neste momento, o bom desempenho das vendas americanas é motivado por uma oferta restrita no mercado físico da América do Sul. Novos contratos não estão sendo abertos e os produtores não se sentem motivados a vender neste momento, especialmente no Brasil, onde 40% da safra já foi negociada, cobrindo custos de insumos. No entanto, os preços no mercado interno não são animadores frente a padrões de preços anteriores, o que leva os produtores a aguardar. Além disso, o valor do dólar em relação ao real também é um fator de retração.

Um ponto de atenção é para a véspera do Ano Novo Lunar da China, que terá início na sexta-feira. Até o fim da próxima semana, o país asiático deverá estar fora do mercado. Com isso, ao longo da quarta e da quinta feira, o mercado na CBOT deve trabalhar protegido para segurar o suporte dos US$10,50/bushel.

De acordo com Brandalizze, a janela para os preços da soja está entre US$10,50/bushel e US$10,90/bushel. A definição da safra Argentina seria fundamental para determinar os preços, com possibilidade de chegar a US$11/bushel caso as perdas sejam confirmadas.

Enquanto os produtores brasileiros aguardam para vender, a infraestrutura pode trazer complicações após a colheita, uma vez que os estados do Sul podem não ter espaço de armazenagem para atender a todos os produtores.

Por: Aleksander Horta e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário