Tendência é de alta para os preços da soja em Chicago, no entanto, movimento deve ser mais contido e sem exageros

Publicado em 17/07/2017 13:13 e atualizado em 17/07/2017 14:20
3147 exibições
Soja em Chicago segue de olho nos mapas climáticos em momento de floração e enchimento de grãos
Miguel Biegai - Analista da OTCex Group

O analista de mercado Miguel Biegai, da OTCEx Group, em Genebra (Suíça), conta que o mercado da soja na Bolsa de Chicago (CBOT) apresenta grande indecisão nesta segunda-feira (17).

De acordo com o gráfico demonstrado pelo analista para a soja novembro/2017, o dia de hoje mostra uma ligeira alta, mas com volatilidade. Há duas forças do mercado que estão poderosas neste momento: a oferta e os danos em relação à produtividade do ano passado para os Estados Unidos. Entretanto, mesmo com perda de produtividade, os norte-americanos devem ter uma safra expressiva.

O consumo também se mostra bastante forte, o que pode embasar a CBOT rondando os US$10/bushel. A China também apontou para um crescimento econômico de 7%. Assim, uma falta de soja mexeria expressivamente com o mercado.

De acordo com os mapas climáticos para os Estados Unidos, a temperatura estará acima do normal nos próximos dias. Em relação aos mapas demonstrados por Biegai na última sexta-feira (14), o volume de chuvas previstas não é mais tão expressivo, abrangendo uma área menor.

Ele destaca que, se o mercado voltar a subir neste momento, as altas serão mais moderadas.

No Brasil, a semana mostra algumas possibilidades de negócios novas, mesmo que as altas sejam mais graduais e menos expressivas. O dólar trabalha abaixo dos R$3,20, fator que também auxilia o mercado de Chicago, já que a soja norte-americana fica mais competitiva.

Por: Aleksander Horta e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário