Após relatório do USDA, novos preços da soja estão próximos do piso, mas sem força para voltar acima dos US$10,00/bushel

Publicado em 11/08/2017 17:08
2093 exibições
Safra americana não está consolidada e clima pode seguir interferindo na produção nas próximas semanas

LOGO nalogo

Após uma queda expressiva na sessão de ontem, o mercado da soja reagiu positivamente na Bolsa de Chicago (CBOT) nesta sexta-feira (11), com ganhos de 4 a 5 pontos nos principais vencimentos.

Jack Scoville, analista de mercado da Price Futures Group, destaca que os vendedores não apareceram hoje no mercado, retirando a oferta e fechando o espaço para novas quedas. Ele lembra também que o movimento de muitos analistas em contestar os dados divulgados pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que apostam em produtividades menores nos próximos relatórios, também colabora para a situação do mercado.

O analista mesmo acredita em um equívoco por parte dos números do USDA, lembrando que esteve no final de semana passado no centro de Illinois e pode observar que as produtividades não estão tão grandes quanto é esperado pelo órgão. Na visão de Scoville, o USDA vem combinando os resultados de campo com seus modelos estatísticos.

Depois de ontem, é "difícil falar que os preços vão recuperar de forma imediata", mas a possibilidade de baixa também não está grande, lembra. Depois de duas semanas, o mercado deve voltar os olhos para o que está se passando para a produtividade, que não está consolidada para a soja neste momento.

Os produtores norte-americanos precisariam de uma alta por volta dos US$0,25/bushel a US$0,30/bushel em relação aos atuais patamares para voltarem ao lado vendedor.

Por: Aleksander Horta e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário