Demanda por soja segue forte e Brasil pode registrar recorde de exportações para o mês de março com 10 mi/ton vendidas

Publicado em 12/03/2018 17:15 e atualizado em 12/03/2018 17:45
2354 exibições
Depois das sessões seguidas de baixa na soja, negociações em Chicago tiveram leve recuperação nesta segunda-feira(12)

LOGO nalogo

A segunda-feira (12) foi mais um dia positivo para as cotações da soja na Bolsa de Chicago (CBOT), que tiveram ganhos leves, de até 4 pontos nos principais vencimentos.

Contudo, o mercado, que já precificou o que teria de precificar, se encontra agora em compasso de espera. É o que avalia Vlamir Brandalizze, analista da Brandalizze Consulting. Para ele, o mercado está começando a semana na linha técnica, com dificuldade de avançar.

No Brasil, a colheita avança nos estados que representam mais de 80% da safra, consolidada entre 115 a 116 milhões de toneladas, o que dá tranquilidade para o mercado internacional de que o país irá exportar novamente. O mês de março também deve ser recorde para as vendas do complexo soja no Brasil, que podem chegar a 10 milhões de toneladas.

Sobre a guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, Brandalizze acredita que o Brasil está "no meio da guerra, do mesmo jeito que os chineses". Ele indica que a China poderia usar uma taxa simbólica para criar pressão nos norte-americanos, mas também que os asiáticos dependem da soja e deverão continuar comprando o produto.

Por: Aleksander Horta e Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário