Apesar do excesso de chuvas dos últimos dias, plantio da soja se desenvolve bem em Correntina/BA e produtores estão otimistas

Publicado em 06/11/2018 10:36 e atualizado em 06/11/2018 13:29
625 exibições
Na contramão do bom ritmo dos trabalhos de campo, comercialização da nova safra está atrasada no município em função do tabelamento dos fretes. Com a questão ainda não resolvida, negócios estão travados e compradores se retiraram do mercado.
Ricardo Vieira - Produtor Rural de Correntina/BA

Podcast

Entrevista com Ricardo Vieira - Produtor Rural de Correntina/BA sobre o Acompanhamento de Safra da Soja

Download

LOGO nalogo

Na região de Correntina/BA, os produtores rurais estão preocupados com o excesso de chuvas que está comprometendo o andamento do plantio da soja. Até o momento, as perspectivas para a safra são boas e 30% da área destinada à cultura já foi cultivada.

De acordo com o produtor rural do município, Ricardo Vieira, as previsões climáticas indicavam que as precipitações iriam se consolidar em novembro. “Porém, as chuvas acabaram se antecipando e com volumes alem do esperado no mês de outubro para a localidade. Nós conseguimos antecipar o plantio, mas não estamos conseguindo manter o ritmo que gostaríamos”, afirma.

Com relação à produtividade das lavouras, Vieira destaca que as condições climáticas dos últimos dias não comprometeram o rendimento das áreas. “Nós estamos bem otimistas e as estimativas são excelentes aqui para o nordeste, por isso acreditamos que vamos conseguir fazer outra boa safra”, comenta.

Entretanto, a comercialização dos grãos está com ritmo lento em função das incertezas sobre o tabelamento dos fretes. Em anos anteriores, cerca de 40% da safra de soja já estava negociada na região e atualmente apenas 30% foi comercializado. “Eu acredito que essa questão dos fretes será definida e as negociações vão voltar aos patamares normais”, ressalta.

O tabelamento do fretes também afetou os custos de produção com um aumento de até 40% nos valores dos fertilizantes. “Todos esses fatores acabam comprometendo o nosso rendimento”, destaca.

Atualmente, os preços médios da soja disponível estão em torno de R$ 70,00 a R$ 72,00 a saca. No caso do milho, as referências para a saca estão por volta de R$ 30,00. “É um excelente preço, nós esperávamos estar um pouco a mais devido aos prêmios e do cenário político”, completa.

Por: Carla Mendes e Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário