Soja: Produtores finalizam plantio em São Paulo e realizam aplicações preventivas contra a ferrugem

Publicado em 22/11/2018 10:58 e atualizado em 22/11/2018 17:59
737 exibições
Estado já tem quatro casos confirmados de ferrugem asiática, segundo dados do Consórcio Antiferrugem. Falta de luminosidade também é uma preocupação dos produtores. Cerca de 30% a 40% da safra 2018/19 foi comercializada antecipada em SP. Preços recuaram e saca é cotada a R$ 67,00, mas negócios permanecem lentos.
Gustavo Chavaglia - Presidente Aprosoja SP

Podcast

Entrevista com Gustavo Chavaglia - Presidente Aprosoja SP sobre o Acompanhamento de Safra da Soja

Download

 

LOGO nalogo

A chegada precoce das chuvas no estado de São Paulo permitiu ao produtor o adiantamento do plantio da soja. A região está adiantada em pelo menos 20 dias, conta Gustavo Chavaglia, Presidente da Aprosoja SP, que completa, “O produtor terá benefícios até com uma possível safrinha futura pelo adiantamento do plantio, que não está completo, mas bem próximo do fim”.

Ferrugem

Esse alto volume de chuva que traz boa condição para a planta se desenvolver, também oferece um ambiente favorável para o surgimento de pragas e vários tipos de doenças na propriedade à exemplo da ferrugem asiática que já tem quatro casos confirmados no estado segundo dados do Consórcio Antiferrugem.“O produtor deve permanecer alerta, portanto, à questão da doença fúngica, que deve ser tratada com prevenção”, alerta Chavaglia, que completa “Não se deve aplicar os fungicidas de qualquer forma, deve-se fazer um levantamento que vai apontar se deve ou não aplicar e quantidade exata”.

Investimento

As tecnologias estão ajudando cada vez mais o produtor de São Paulo, “As áreas de pastagens, reformas e canaviais que deixaram de existir devido à ação do produtor que busca aumentar o volume de produção de soja e a produtividade” diz a liderança da Aprosoja.

Rentabilidade e referência

A soja tem trazido uma boa remuneração e vem fazendo produtores migrar de outras atividades para a produção da oleaginosa. No entanto, o encarecimento de insumos, que aumentou os custos de produção, pode afetar a rentabilidade do produtor nesta safra 2018/19.

De acordo com Chavaglia, bons negócios foram realizados antes da eleição, com valores entre R$ 75,00 e R$ 80,00 a saca, no entanto, poucas vendas foram efetuadas após a disputa eleitoral. “A variação do dólar e a guerra comercial entre Estados Unidos e China têm gerado um cenário de incerteza no mercado e as empresas ficaram cautelosas em firmar preços para o futuro”, diz.

No momento, os preços recuaram e a saca é cotada a R$ 67,00 mas os negócios permanecem lentos.

A orientação que o  presidente da Aprosoja SP, Gustavo Chavaglia  dá ao produtor é que ele permaneça atento às pragas e as oportunidades do mercado.

Por: Fernanda Custódio e Rodrigo Ferreira
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário