Chuva atrapalha plantio de soja, mas expectativa é de boa safra em Laguna Carapã (MS)

Publicado em 04/12/2018 16:43 e atualizado em 04/12/2018 17:30
279 exibições
Alto índice pluviométrico ocasionou erosão e necessidade de replantio em algumas áreas, mas expectativa é de produtividade próxima a 60 sacas por hectare assim como em 2017. Parte da safra já foi negociada com preços de R$ 72,00 e vendas futuras giram em torno de R$ 64,00.
Antônio Rodrigues Neto - Técnico Agrícola da Casa da Lavoura de Dourados

Podcast

Entrevista com Antônio Rodrigues Neto - Técnico Agrícola da Casa da Lavoura de Dourados sobre o Acompanhamento de Safra da Soja

Download

LOGO nalogo

As chuvas fortes que caíram no Mato Grosso do Sul nos últimos meses atrapalharam o plantio de soja na região de Laguna Carapã sendo necessário até mesmo o replantio de algumas áreas. “O produtor começou a fazer o plantio no dia 15 de setembro, mas devido as chuvas fortes que aconteceram tivemos várias áreas com erosão, solo úmido, perda de sementes e teve que ser feito o replantio. Hoje nós temos várias áreas com soja bastante canivetadas e temos plantas em vários estágios de evolução”, diz Antônio Rodrigues Neto, técnico agrícola da Casa da Lavoura de Dourados (MS).

Agora com a lavoura já estabelecida, os produtores esperam que a chuva volte para a região em busca da melhor condição de desenvolvimento para a soja. Enquanto isso, a preocupação com a aplicação de defensivos agrícolas se torna o centro das atenções. “Devido a essas condições climáticas tivemos um foco de antracnose mais cedo na região e isso levou uma aplicação dos fungicidas um pouco mais cedo do que o normal. Estamos acompanhando a questão da ferrugem asiática no Paraná e também em Maracaju, mas os nossos produtores já fizeram todas as aplicações preventivas”, conta Rodrigues Neto.

Mesmo com todos esses problemas de clima, replantio e aparecimento de focos de doenças próximos, a expectativa da Casa da Lavoura de Dourados é que a região se mantenha perto da média de 60 sacas por hectare que foi apresentada na safra passada. Os custos de produção também se mantem sob controle, uma vez que os produtores da região adquiriram praticamente todos os insumos com antecedência.

Sendo assim, a questão que toma a atenção dos produtores é com relação as vendas da safra. “Logo no início tiveram alguns pacotes que foram feitos em várias áreas por troca de insumos e houve uma média de 70 a 72 reais por saca. Agora o preço está mais baixo oscilando perto de R$ 64,00 e o produtor não está mais optando por travar a soja. Esperamos que a soja reaja com um preço mais alto e o produtor tenha uma margem maior impulsionada pelas variações do dólar e das consequências da eleição”, comenta Antônio.

Já pensando na próxima safra de milho, os produtores de Laguna Carapã começaram a antecipar as compras de sementes, adubos e fungicidas. A estimativa da Casa da Lavoura de Dourados é que 70% da safra de milho já esteja fechada e que o plantio ocorra totalmente dentro da melhor janela possível.

Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário