Relações comerciais indefinidas entre China e EUA e expectativa de melhora do clima no Brasil pressionam soja em Chicago

Publicado em 15/01/2019 17:55
379 exibições
Safra brasileira acima de 115 milhões de toneladas não muda atual cenário de oferta elevada do grão, principalmente com demanda mais fraca da China
Camilo Motter - Granoeste Corretora de Cereais

Podcast

Entrevista com Camilo Motter - Granoeste Corretora de Cereais sobre o Fechamento de Mercado da Soja

Download

 

LOGO nalogo

Nesta terça-feira (15), o mercado da soja teve mais um dia negativo na Bolsa de Chicago (CBOT), que iniciou a semana no vermelho.

Camilo Motter, analista de mercado da Granoeste Corretora de Cereais, destaca que há uma indefinição quanto à possibilidade de os Estados Unidos derrubarem a tarifação de 25% sobre a soja chinesa.

Além disso, os números estimados para a soja brasileira também trazem diversos impactos no mercado. Consultorias privadas falam em um volume total de 115 a 117 milhões de toneladas.

Novos casos de peste suína africana também são identificados na China. A demanda, assim, tende a ser mais acomodada. Com os serviços norte-americanos paralisados, não é possível ter uma noção dos números de estoques dos Estados Unidos, bem como das compras chinesas.

No Brasil, além dos preços caindo em Chicago, também influencia a questão do dólar, que teve uma forte queda desde o início do ano e o componente frete, que ainda não está solucionado.

Por Aleksander Horta e Izadora Pimenta
Fonte Notícias Agrícolas

Nenhum comentário