Produtores do oeste da Bahia se preocupam com risco de ferrugem após um plantio dentro do vazio sanitário

Publicado em 14/10/2019 10:47 e atualizado em 14/10/2019 11:30
1314 exibições
Produtor de Jaborandi semeou soja ainda no dia 15 de setembro e risco de ferrugem asiática se espalhar pelas lavouras da região é grande. Mesmo assim, expectativa é boa para safra 2019/20 com projeção de produtividade média a cima de 56 sacas por hectare.
Cícero José Teixeira - Presidente do Sindicato Rural de Luís Eduardo Magalhães/BA

Podcast

Produtores do oeste da Bahia se preocupam com risco de ferrugem após um plantio dentro do vazio sanitário

Download

LOGO nalogo

Antes mesmo de iniciar a maior parte dos trabalhos de plantio para a safra de soja 2019/20, os produtores do oeste da Bahia já tem uma grande preocupação: o alto risco de incidência da ferrugem asiática para este ciclo.

O motivo dessa preocupação é que um produtor realizou o plantio da sua lavoura em Jaboirandi/BA ainda no dia 15 de setembro, antes do término do vazio sanitário no estado.

De acordo com o presidente do Sindicato Rural de Luís Eduardo Magalhães/BA, Cícero José Teixeira, o plantio cerca de 40/45 dias antes do restante da região vai coincidir o final de ciclo desta área com a floração das demais, o que pode ajudar na disseminação dos esporos da doença.

Diante disso, os produtores da região, que já enfrentaram um alto custo de produção para esta safra, principalmente devido à elevação dos adubos e defensivos cotados em dólar, podem ter que investir ainda mais para se defender da doença, que coloca a produção em jogo.

Teixeira ainda conta que, o plantio das áreas de sequeiro em LEM deve acontecer na virada de outubro para novembro, após a chuva prevista para o dia 28, e a expectativa é de superar a marca de 56 sacas por hectare de produtividade média.

Confira a íntegra da entrevista com o presidente do Sindicato Rural de Luís Eduardo Magalhães/BA no vídeo.

Por: Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário