Produtores do oeste da Bahia se preocupam com risco de ferrugem após um plantio dentro do vazio sanitário

Publicado em 14/10/2019 10:47 1351 exibições
Cícero José Teixeira - Presidente do Sindicato Rural de Luís Eduardo Magalhães/BA
Produtor de Jaborandi semeou soja ainda no dia 15 de setembro e risco de ferrugem asiática se espalhar pelas lavouras da região é grande. Mesmo assim, expectativa é boa para safra 2019/20 com projeção de produtividade média a cima de 56 sacas por hectare.

Podcast

Produtores do oeste da Bahia se preocupam com risco de ferrugem após um plantio dentro do vazio sanitário

Download

LOGO nalogo

Antes mesmo de iniciar a maior parte dos trabalhos de plantio para a safra de soja 2019/20, os produtores do oeste da Bahia já tem uma grande preocupação: o alto risco de incidência da ferrugem asiática para este ciclo.

O motivo dessa preocupação é que um produtor realizou o plantio da sua lavoura em Jaboirandi/BA ainda no dia 15 de setembro, antes do término do vazio sanitário no estado.

De acordo com o presidente do Sindicato Rural de Luís Eduardo Magalhães/BA, Cícero José Teixeira, o plantio cerca de 40/45 dias antes do restante da região vai coincidir o final de ciclo desta área com a floração das demais, o que pode ajudar na disseminação dos esporos da doença.

Diante disso, os produtores da região, que já enfrentaram um alto custo de produção para esta safra, principalmente devido à elevação dos adubos e defensivos cotados em dólar, podem ter que investir ainda mais para se defender da doença, que coloca a produção em jogo.

Teixeira ainda conta que, o plantio das áreas de sequeiro em LEM deve acontecer na virada de outubro para novembro, após a chuva prevista para o dia 28, e a expectativa é de superar a marca de 56 sacas por hectare de produtividade média.

Confira a íntegra da entrevista com o presidente do Sindicato Rural de Luís Eduardo Magalhães/BA no vídeo.

Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário