Há 38 anos mostramos as viúvas da seca no Fantástico; agora a solução, os primeiros plantios de soja...

Publicado em 22/02/2021 15:15 e atualizado em 22/02/2021 16:26 684 exibições
Tempo & Dinheiro - Com João Batista Olivi
Vlamir Brandalizze: Ceará é a nova fronteira agrícola do Brasil para a cultura da soja

 

Colheita de soja do Brasil avança a 15%, mas segue atrasada, diz AgRural

SÃO PAULO (Reuters) - A colheita de soja 2020/21 do Brasil atingiu 15% das áreas até a última quinta-feira e segue com os trabalhos mais lentos em dez anos, estimou a consultoria AgRural nesta segunda-feira.

No comparativo semanal, a colheita do maior produtor e exportador global da oleaginosa avançou 6 pontos percentuais. No entanto, no mesmo período da safra anterior, os trabalhos estavam em 31%.

"Apesar do avanço mais acelerado observado nas duas últimas semanas, os 15% colhidos até agora são o índice mais baixo para meados de fevereiro em dez anos, impactando logística e exportações", afirmou a consultoria em nota.

Diante da previsão de chuvas em grande parte do Centro-Oeste, Norte e Nordeste do Brasil nesta segunda quinzena de fevereiro, e expectativas de mais precipitações ao menos até os primeiros dias de março, produtores avançaram com as colheitadeiras mesmo em áreas onde o grão está com excesso de umidade, na tentativa de evitar perdas de qualidade mais adiante, disse a AgRural.

No sul de Mato Grosso do Sul, a semana foi de tempo mais firme, mas a colheita seguiu lenta, com poucas áreas prontas devido ao plantio atrasado e ao alongamento do ciclo das lavouras. O mesmo cenário foi visto nos Estados da região Sul do país.

"No Rio Grande do Sul, onde ainda não há colheita, os produtores monitoram a previsão de tempo mais seco até o começo de março, mas o solo ainda tem umidade e, por enquanto, não há risco de perda significativa de produtividade", destacou a consultoria.

Já o plantio de milho, realizado imediatamente após a retirada da soja do campo, atingiu 24% da área prevista para o centro-sul até quinta-feira (18). Trata-se de um avanço sobre os 11% vistos uma semana antes, mas ainda bem atrás dos 51% registrados no mesmo período do ano passado.

Apesar do atraso e dos problemas climáticos, a projeção mais recente da AgRural indica recorde de produção de soja na safra 2020/21 do Brasil, em 131,7 milhões de toneladas.

Empresa gaúcha de agronegócio Três Tentos pede registro para IPO

LOGO REUTERS

SÃO PAULO (Reuters) - A empresa gaúcha de agronegócio Três Tentos pediu registro para uma oferta inicial de ações (IPO), em busca de recursos para abrir lojas e comprar rivais menores.

Fundada em 1995 pela família Dumoncel e com sede na cidade de Santa Bárbara do Sul (RS), a Três Tentos produz farelo e óleo de soja, biodiesel, além de vender sementes, fertilizantes para pequenos produtores de soja, milho, trigo, arroz.

Ela também atua como trading na compra e venda de grãos de cerca de 11 mil produtores e tem 40 lojas no Rio Grande do Sul e uma no Mato Grosso.

"A atuação nos três segmentos nos permite participar de negócios e destinar as nossas operações visando capturar as melhores margens, independentemente de efeitos adversos nas safras", afirma a companhia no prospecto preliminar da oferta, protocolado na Comissão de Valores Mobiliários na sexta-feira.

A empresa teve receita líquida de 3,1 bilhões de reais em 2020, alta de 40% em relação ao ano anterior, com a margem Ebitda ajustada subindo de 7,5% para 12,5% e o lucro líquido avançando 104%, a 246 milhões de reais.

Além de aquisições, a Três Tentos pretende usar os recursos da venda de ações novas para reforçar o caixa e para abrir 41 lojas, 22 novas lojas principalmente no Rio Grande do Sul e oito no Mato Grosso, onde também planeja ter uma fábrica.

A oferta, que será coordenada por BTG Pactual, UBS-BB, Bank of America, Bradesco BBI e Citi, também servirá para que seis acionistas pessoas físicas vendam participação no negócio.

O agronegócio tem sido um dos setores mais ativos na recente onda de IPOs na B3. A produtora de açúcar e etanol Jalles Machado estreou no pregão mais cedo neste mês após uma oferta inicial de que giro 741,5 milhões de reais.

Além dela, estão na fila do IPO o Grupo Fartura de Hortifrut, a Oleoplan, Boa Safra Sementes, Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), Vittia Fertilizantes e a Agrogalaxy.

Porém, a volatilidade do mercado de ações tem adiado ou suspendido os planos de algumas delas de vender ações pela primeira vez, como no caso da Granbio, de biodiesel.

Tags:
Fonte:
Notícias Agrícolas/Reuters

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário