HOME VÍDEOS NOTÍCIAS METEOROLOGIA FOTOS

Goiás estima aumento de 35% no cultivo de trigo em 2022 e já planeja futuros crescimentos da cadeia

Publicado em 10/06/2022 10:23 e atualizado em 10/06/2022 11:06
Tiago Mendonça - Secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Goiás
Secretario de Agricultura do estado destacou grandes produtividades atingidas no serrado goiano e boa perspectiva de rentabilidade aos produtores nesta safra

Logotipo Notícias Agrícolas

A área cultivada com trigo vem crescendo em Goiás nos últimos anos, saindo dos 33 mil hectares de 2019 para 55 mil em 2021 e agora algo entre 60 e 70 mil hectares pra a safra de 2022, de acordo com a projeção da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Goiás. 

Segundo o secretário de agricultura do estado, Tiago Mendonça, os altos preços do trigo no mercado, ajudados pela guerra da Ucrânia e mais comprometimento das exportações da Argentina, estimularam os produtores do estado a apostar mais no cultivo. 

Este aumento de plantio deve promover um crescimento de 35% na produção estadual de trigo, chegando a 175,5 mil toneladas e altas produtividades, algumas próximas dos recordes mundiais para a cultura. 

O secretário destaca que a produção goiana se concentra em regiões ao redor do Distrito Federal como Cristalina, Catalão, Luziânia e Formosa, mas existem projetos para ampliar não só a produção nos próximos anos, mas estruturar melhor toda a cadeia. 

Mendonça conta que, em conjunto com a Embrapa Trigo, a Secretaria está desenvolvendo um projeto para mapear produtores e indústrias consumidores para melhorar a logística de distribuição da produção e seguir estimulando o aumento de área cultivada. O plano é tornar o Brasil autossuficiente em trigo nos próximos 10 anos. 

Confira a íntegra da entrevista com o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Goiás no vídeo.

Por:
Guilherme Dorigatt
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

1 comentário

  • Jocelis Furman Mato Rico - PR

    Mais um estado com aumento de área, o RS TB aumentou, dados pra segurar os preços. Só que não é garantia de produção. Até a colheita tem muita coisa pra acontecer.

    0
    • Adalberto José Munhoz Campo Mourão - PR

      Bom dia uma saca de trigo ph 78 a 100 muito ruim no trigo chega a 5 aplicações de fungicida então não compensa esse preço seria um patamar razoável 150 por sc.

      11
    • Leodir Vicente Sbaraine Terra Roxa - PR

      Trigo a 100,00 a saca não paga os custos aqui no oeste do Paraná...., não tem como plantar, infelizmente !!!

      9
    • Adalberto José Munhoz Campo Mourão - PR

      Aqui é um veiculo democratico mas pelo amor de Deus colocar negativo num patamar que na minha região tem que produzir muito então quem negativou analise um pouco melhor... mas mesmo assim muito obrigado.

      6
    • Hilario Bussolaro Cascavel - PR

      Sr Adalberto infelizmente não sei se esse indivíduo e produtor agrícola mas quando uma pessoa simplesmente responde por não concordar sem conhecimento de causa pra mim e um retardado que se acha dona da verdade, o Brasil virou um povo sem pátria um povo que vê a desgraça a sua porta mas fica esperando um salvador e não reage aí mal maior, e o destino disso alguma países visinhos nos mostra o que vai acontecer aqui tbm

      11
    • Adilson Dilmar Dudeck Cascavel - PR

      KIEV, 13 Jun (Reuters) - Um alto funcionário do governo disse nesta segunda-feira que a colheita de grãos da Ucrânia deve cair para cerca de 48,5 milhões de toneladas este ano, ante 86 milhões de toneladas no ano passado, após a invasão da Rússia.

      O primeiro vice-ministro da Agricultura, Taras Vysotskyi, disse que a área total semeada caiu 25% e o superávit exportável de 2022/23 pode ser de 30 milhões de toneladas, o que significa perda significativa de receita.

      A colheita de trigo seria de cerca de 17 a 20 milhões de toneladas, disse ele.

      A Ucrânia geralmente é um grande produtor global de grãos e oleaginosas, mas suas exportações caíram drasticamente desde a invasão russa em 24 de fevereiro. Por causa do bloqueio russo aos portos ucranianos do Mar Negro, Kyiv está tentando exportar por rodovia, rio e ferrovia.

      A queda na produção e nas exportações alimentou temores de uma crise global de alimentos e a guerra, juntamente com as sanções ocidentais contra a Rússia, elevou o preço dos grãos, óleo de cozinha, fertilizantes e energia.

      Os esforços liderados pela Turquia para negociar a passagem segura de grãos presos nos portos ucranianos do Mar Negro não produziram um avanço. Kyiv disse que Moscou está estabelecendo condições não razoáveis ??e o Kremlin disse que o envio gratuito depende do fim das sanções internacionais contra a Rússia. (Reportagem de Pavel Polityuk, edição de Timothy Heritage)

      0