CAFÉ: Mercado calmo no mês de agosto

Publicado em 31/08/2012 17:33 e atualizado em 03/09/2012 11:27 911 exibições
O mercado de café permaneceu calmo neste mês de agosto, época de verão no hemisfério norte,
quando muitos operadores e torrefadores aproveitam para entrar em férias com suas equipes e o calor leva a um consumo menor de café.

Contribuiu com o quadro o calor acima da média para este período de inverno nas regiões
produtoras de café do sudeste do Brasil, maior produtor de café do mundo. Ele afastou o perigo de geada e desmotivou os especuladores, que saíram de suas posições mais cedo, em pleno mês de agosto, derrubando as cotações.

Este ano, a calmaria em agosto acabou sendo ainda maior devido ao desinteresse de muitos
produtores em vender nos preços praticados pelo mercado. Preferem voltar suas atenções para o trabalho de colheita e benefício da nova safra, bastante atrasado devido às chuvas de junho. Os que podem, adiam vendas para quando os números desta safra estiverem mais claros.

Os compradores se mostram preocupados com a pouca oferta de café arábica de boa qualidade. O volume produzido ficou abaixo do projetado antes do início da colheita. Colhendo um volume menor de bons arábicas, o cafeicultor estoca estes cafés aguardando preços que reflitam a quebra da safra e compensem o menor volume produzido.

A OIC – Organização Internacional do Café informou que as exportações mundiais de café nos
doze meses encerrados em julho de 2012 totalizaram 105,90 milhões de sacas (65,18 milhões de arábica e 40,72 milhões de robusta), variando pouco em relação as 105,24 milhões de sacas (68,12 milhões de arábica e 37,12 milhões de robusta) exportadas nos doze meses encerrados em julho de 2011. Em doze meses as exportações de arábica recuaram 4% ou 2,94 milhões de sacas (de 68,12 milhões para 65,18 milhões) e as de robusta cresceram 10% ou 3,60 milhões de sacas (de 37,12 milhões para 40,72 milhões).

Até o dia 30 os embarques de agosto estavam em 1.589.474 sacas de café arábica e 199.153 sacas de café conillon, somando 1.787.627 sacas de café verde, mais 200.807 sacas de café solúvel, contra 1.320.466 sacas no mesmo dia de julho. Até o dia 30, os pedidos de emissão de certificados de origem para embarque em agosto totalizavam 2.568.179 sacas, contra 1.878.075 sacas no mesmo dia do mês anterior.

A bolsa de Nova Iorque – ICE, do fechamento do dia 24, sexta-feira, até o fechamento de hoje,
sexta-feira, dia 31, subiu nos contratos para entrega em dezembro próximo, 185 pontos ou US$ 2,45 (R$ 4,98) por saca. Em reais por saca, as cotações para entrega em dezembro próximo na ICE fecharam no dia 24 a R$ 435,71/saca e hoje, dia 31 a R$ 442,40/saca. Hoje, sexta-feira, nos contratos para entrega em dezembro, a bolsa de Nova Iorque fechou com alta de 135 pontos. No mercado calmo de hoje, são as seguintes cotações nominais por saca, para os cafés verdes, do tipo 6 para melhor, safra 2012/2013, condição porta de armazém:

R$420/440,00 - CEREJA DESCASCADO – (CD), BEM PREPARADO.
R$390/400,00 - FINOS A EXTRAFINOS – MOGIANA E MINAS.
R$380/390,00 - BOA QUALIDADE – DUROS, BEM PREPARADOS.
R$370/380,00 - DUROS COM XÍCARAS MAIS FRACAS.
R$360/370,00 - RIADOS.
R$340/350,00 - RIO.
R$340/360,00 - P.BATIDA P/O CONSUMO INT.: DURA.
R$320/330,00 - P.BATIDA P/O CONSUMO INT.: RIADAS.

DÓLAR COMERCIAL DE SEXTA-FEIRA: R$ 2,030 PARA COMPRA.
Fonte:
Escritório Carvalhaes

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário