Café: Mercado firme sólido, com maior volume de lotes vendidos em dias de alta do mercado futuro

Publicado em 02/12/2011 17:47 e atualizado em 02/12/2011 18:24 647 exibições
Tivemos mais uma semana com as bolsas ao redor do mundo trabalhando com muita volatilidade, acompanhando o vai e vem das informações sobre a crise da dívida na zona do euro e seus reflexos na economia mundial. As bolsas de café acompanharam as demais e apresentaram forte oscilação no decorrer dos pregões e nos fechamentos de um dia para outro. Como exemplo, os contratos de café com vencimento em março próximo na ICE Futures US fecharam na última quarta-feira com alta de 935 pontos e hoje, sexta-feira, em baixa de 615 pontos.

O mercado físico brasileiro de café não apresentou o mesmo comportamento. Mostrou-se sólido e procurado, com maior volume de lotes vendidos nos dias em que o mercado futuro fechou em alta. Os negócios só não são fechados em maior número porque muitos vendedores estabelecem preços rígidos para vender seus lotes, não aceitando negociar nenhuma redução para concretizar a venda.

Na ausência de novas notícias sobre os fundamentos, que permanecem sólidos e altistas, crescem os debates sobre o tamanho da próxima safra brasileira de café. Ainda é cedo para estimativas, mas reafirmamos nossa opinião de que em um país de dimensões continentais como o nosso, com diversas regiões produtoras espalhadas por seu território, apenas o governo federal, através da CONAB – Companhia Nacional de Abastecimento, que mobiliza centenas de agrônomos e técnicos para elaborar a sua estimativa, tem condições de fazer uma previsão de safra com base em um levantamento técnico, com relatórios detalhados de visitas às muitas regiões produtoras de café no Brasil.

Cresce o interesse pelos leilões de estoques governamentais de café. No leilão realizado hoje (aviso de venda 504/11) foram vendidas todas as 31.198 sacas postas a venda (mais informações em nosso site).

Até o dia 30, os embarques de novembro estavam em 2.271.735 sacas de café arábica, 144.044 sacas de café conillon, somando 2.415.779 sacas de café verde, mais 274.544 sacas de solúvel, contra 2.594.307 sacas no mesmo dia de outubro. Até o dia 30, os pedidos de emissão de certificados de origem para embarque em novembro totalizavam 3.032.658 sacas, contra 3.159.634 sacas no mesmo dia do mês anterior.

A bolsa de Nova Iorque – ICE, do fechamento do dia 25, sexta-feira, até o fechamento de hoje, sexta-feira, dia 2, caiu nos contratos para entrega em março próximo, 300 pontos ou US$ 3,96 (R$ 7,09) por saca. Em reais por saca, as cotações para entrega em março próximo na ICE fecharam no dia 25 a R$ 579,86/saca e hoje, dia 2, a R$ 544,14/saca. Hoje, sexta-feira, nos contratos para entrega em março, a bolsa de Nova Iorque fechou com baixa de 615 pontos

Fonte:
Escritório Carvalhaes

0 comentário