Soja: Cotações fecham a semana com altas de mais de 30 pontos em Chicago

Publicado em 27/09/2010 07:23
406 exibições
Notável avanço das cotações futuras de soja, em Chicago. Nível crítico de resistência (relativo ao vencimento futuro Novembro/2010) na marca de US$11,00 por bushel é rompido para cima.
Clique aqui para ampliar!

Comentário:

Nesta sexta-feira, vinte e quatro de setembro de 2010, as cotações futuras de soja relativas aos três primeiros vencimentos fecharam com ganhos excepcionais, na Bolsa Mercantil de Chicago (CME), conforme a tabela acima. Estima-se que os fundos de especulação tenham comprado cerca de 7.000 lotes futuros (952.000 toneladas) da oleaginosa, nesta data.

As cotações futuras de soja relativas ao vencimento futuro Novembro/2010 atingiram nesta sexta-feira o seu mais alto nível, considerados os dois últimos anos, após romper para cima o nível crítico de resistência situado na marca de US$11,00 por bushel (o equivalente a US$24,25 por 60 kg líquidos).

Traders atribuíram esse notável avanço em grande parte à significativa desvalorização do Dólar dos EUA perante o Euro e perante outras moedas de livre conversibilidade. O retrocesso do valor do Dólar impeliu os especuladores a buscarem refúgio em commodities futuras tais como produtos agrícolas, ações de capital de empresas negociadas em bolsas de valores, petróleo, ouro e outros metais.

Outros fatores positivos favoráveis à pronunciada alta da soja nesta data consistiram nas fortes chuvas no Norte do Cinturão de Milho e de Soja dos EUA e nas partes central e oeste do Meio-Oeste norte-americano., inclusive com áreas alagadas, prejudicando a colheita da oleaginosa.

Permanece ainda a preocupação com a possível estiagem no Mato Grosso e em outros estados brasileiros produtores de soja que possam vir a ser mais intensamente afetados pelo fenômeno climático designado como La Niña. Em Chicago comenta-se cada vez mais o crescente receio de que possa ocorrer em futuro não muito distante grave crise global de desabastecimento de alimentos.
Tags:
Fonte: SojaNet

Nenhum comentário