Trigo: Anunciado o aumento do preço mínimo de trigo, isso é bom?

Publicado em 27/04/2015 16:46
194 exibições
Em discurso hoje pela manhã, a ministra da agricultura declarou que os preços mínimos de trigo seriam reajustados em 4,5% para a safra nova. Mas o que isso traz de mudanças ao setor?

Demorou, mas foi anunciado o aumento dos preços mínimos de trigo para a safra 2015/16. Segundo fontes ligadas ao governo federal, consultadas por AF News, o trâmite foi atrasado pelo questionamento de maiores aumentos por parte de órgãos associativos de produtores, sendo que a decisão poderia ter sido tomada na reunião do Conselho Monetário Nacional do final de março.

Leia a análise na íntegra no site da AF NEWS
Tags:
Fonte: AF News

1 comentário

  • Carlos Massayuki Sekine Ubiratã - PR

    Inflação de 8%, variação do dólar de 31% e reajuste do preço minimo do trigo em 4,5%!!!!!!

    O que esperar de um governo que é capaz de aguardar todos os agricultores plantarem o trigo para só depois anunciar a isenção da TEC para a importação de trigo fora do MERCOSUL -- como aconteceu ano passado??!!!

    0
    • Dalzir Vitoria Uberlândia - MG

      Carlos ,quem manda nas decisões do governo envolvendo trigo é o chines presidente da Abitrigo e amigo do LULA....todas as decisões são tomadas em favorecimento aos moinhos em detrimento do produtor...por isto esta porcaria a décadas...

      O trigo preço ao produtor cai...o pão ao consumidor quando o dolar sobe ele sobe...mas quando cai o trigo e o dolar o pão continua no mesmo preço...

      Qual o problema...nossas lideranças de sindicatos ,associações....políticos são um bando de pelegos..vendidos e incompetentes ,que lá no interior agem de uma forma e depois se vendam e se entregam as tetas do governo...isto acontece a décadas.

      0
    • Carlos Massayuki Sekine Ubiratã - PR

      De qualquer forma Dalzir, esse tal de preço mínimo sempre existiu só para inglês ver pois nunca foi cumprido integralmente. Aliás só serviu para nos ferrar no caso de PROAGRO quando no cálculo da renda auferida pelo produtor é utilizado o preço mínimo.

      0
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Sr. Carlos, embora o trigo seja a 2ª commodity em produção mundial, a 1ª é o milho; no Brazil o seu volume é insuficiente para ser comercializado em Bolsa e, não há interesse em transformá-lo em commodity. Acho que é um "bem politico-social", que só os politicos que têm o direito de opinar, como a água no Nordeste, é uma moeda de troca. Durante a história recente, o "pãozinho na mesa do povo", foi uma plataforma de governo defendida por muitos candidatos. Chegou a hora de dar um basta! Ou vamos deixar para mudar essa visão para o século XXII ?

      0
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Desculpem-me, mas esse assunto me emociona.

      Só para esclarecer alguns pontos: O Brazil, consome perto de 200.000 ton de farinha proveniente de um cultivar de trigo Durum, é aquela farinha usada para fabricação dos macarrões especiais. Todo o seu consumo é provido pela importação dessa farinha.

      O Instituto Agronômico do Paraná desenvolveu uma variedade de trigo Durum e, a recomendação era que este trigo fosse plantado na área Norte do estado, mais especificamente em Cambará e adjacências. Na época (2003/04) os moinhos se predispunham pagar até 20% a mais com relação aos outros trigos, mas ninguém plantava, porque? As cooperativas e cerealistas nunca demonstraram interesse em separar o recebimento separado de trigo, todos vão para a mesma moega. "Problema Logistico".

      A soja transgênica, no inicio era encaminhada para unidades especificas, depois... Bem isso já é de conhecimento da nação.

      0
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      (continuando)... No 1º governo Lula, metade da soja produzido no Rio Grande do Sul, atentem para o detalhe "METADE" de um estado plantava uma semente de soja não autorizada e, que consumia em época adiantada um herbicida (Round up) que para ser comercializado exigia o receituário agronômico e, pasmem esse volume de herbicida gasto a mais nunca foi detectado e punido. Mas vamos ao clímax, a produção desta soja não poderia ser comercializada, pois pela lei, não poderia ser plantada. O governo Lula fez mais de uma reunião com 5 (CINCO) ministros de estado para resolver este impasse. E foi resolvido a toque de caixa.

      Voltemos ao TRIGO: É sabido que o trigo ERA plantado nos três Estados da região Sul, hoje o seu plantio já ocorre em Estados da região Sudeste e Centro-Oeste, mas as dificuldades que os produtores encontram na atividade, até hoje nunca ministros se reuniram para solucionar os problemas, como em épocas de colheita as cooperativas não estão comprando o cereal (estão fora do mercado), coincidentemente na época em que vencem as faturas dos insumos daqueles que plantaram trigo.

      A presidenta disse: Em época de eleição se faz "o diabo", mas para os produtores de trigo do BraZil, "o diabo" está presente diuturnamente.

      Os produtores de trigo são heróis, pois:

      PLANTAM O TRIGO QUE O "DIABO" AMASSOU !!!

      0
    • Carlos Massayuki Sekine Ubiratã - PR

      A cultura do trigo vinha sendo abandonada e substituída pelo milho safrinha já há vários anos na região de Ubiratã-PR. De 2 a 3 anos para cá o trigo está "ressuscitando" como opção de uma terceira safra, após a soja safrinha ou após as primeiras áreas colhidas de milho safrinha. O trigo entra no sistema produtivo do agricultor como uma opção que, se não tem retorno garantido, pelo menos ajuda a reduzir os custos para a próxima lavoura, uma vez que mantém a área livre de ervas daninhas e ainda fornece uma palhada significativa para o sistema de plantio direto, principalmente quando associada à palha de milho safrinha. Em anos de boa produtividade e qualidade, a cultura em si é viável. Em outros anos menos favoráveis, mesmo que não dê lucro ou que dê um pequeno prejuízo, o trigo serve como adubação verde, com a vantagem de ter financiamento e seguro. Não temos levantamentos confiáveis quanto ao aumento da produtividade na cultura subseqüente ao trigo, porém temos relatos de vários produtores que tiveram resultados animadores com a soja nesse sistema, principalmente em anos mais secos.

      O trigo sempre foi uma cultura de risco em relação ao clima e ultimamente também em relação ao mercado. A possibilidade de lucro é pequena e o risco de prejuízo é enorme. O produtor dessa região só está voltando a plantar esse cereal porque está vendo vantagens no sistema que vão além da remuneração da cultura em si. Não fosse isso, não valeria a pena. Faz muito tempo que não vale a pena.

      0
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Aos leitores, gostaria de refazer a frase final da última mensagem. Acho que ela ficaria melhor assim : COLHEM O TRIGO QUE O "DIABO" AMASSOU !!!

      0