Agricultores e Agricultoras: a arte do cultivo em nossa mesa, por Eduardo Novaes

Publicado em 27/07/2020 19:02 219 exibições
Diretor de Marketing da BASF

Sou carioca e nunca vivi ‘no campo’. Há apenas alguns anos tive a oportunidade de começar esta minha jornada neste segmento que é socialmente tão importante para cada ser humano: todos necessitamos de alimentos para realizar nosso potencial.

Esta é uma reflexão que comecei a fazer desde o início desta minha jornada no agro: que mesmo que eu não tenha me dado conta, grande parte do que consumo começou no campo, na terra. Já parou para pensar sobre isso?

A agricultura é tão necessária e está tão intrínseca em nosso dia-a-dia, que nem percebemos o quanto impacta em nossas vidas. No que comemos – e compramos nos supermercados, sem nos darmos conta de tudo que envolve ter aquele produto disponível numa prateleira -, no que vestimos e em tantos outros itens do nosso dia a dia...

Vivemos em um país agrícola. Mais de 21% do PIB brasileiro vem do agronegócio e os números mostram o quanto o setor continua crescendo e levando o país para frente. Ainda que em um cenário de pandemia, o agro foi o único a crescer nos primeiros meses deste ano e a expectativa é que seja, um dos poucos, senão o único, a apresentar números positivos no resultado de 2020. Afinal de contas, a demanda por alimentos não para de crescer e a população mundial também não.

Apesar desses ótimos resultados, vejo que é urgente resgatar o orgulho dessa atividade.

Estamos em um momento no qual repensar várias atitudes e aprender a ressignificar diversos valores têm sido fundamentais. A resiliência para enfrentar tempos difíceis, a determinação para vencer obstáculos, a paciência de aguardar os novos tempos são características que estão no DNA do agricultor. Os desafios, para quem é do campo, existem desde sempre. E isso é repassado de geração em geração.

Mais do que nunca é preciso entender o que está sendo realmente feito no setor em nosso país e quanto a adoção de boas práticas no campo tem sido conduzida com afinco pelos agricultores brasileiros. O aumento de produtividade e eficiência do agronegócio andam hoje de mãos dadas com o desenvolvimento sustentável. A legislação evoluiu também nesse sentido e boa parte dos produtores têm inclusive grandes áreas de preservação ambiental dentro de suas propriedades, e têm orgulho em tê-las. É esse legado que o agricultor tem construído com tanta dedicação no decorrer dos anos.

Há grandes desafios, claro, e a inovação sustentável na agricultura nos permite cada vez mais encontrar soluções práticas em prol da produção de cultivos mais tolerantes aos estresses, redução da pegada de CO 2 do setor e aumento da biodiversidade.

“Meu avô dizia, meu pai fazia o que o avô um dia fez (...) A lida se aprende e se passa para frente, como meu velho fez...”, diz a letra do Legado, canção lançada pela BASF em 2018 em homenagem aos agricultores e interpretada pelas belíssimas vozes de Renato Teixeira e Lucyana Villar. Assim como a música, a agricultura conecta. Conecta gerações no manejo do campo e constrói legados. Nos conecta à terra durante as refeições. Nos conecta (eu e você) com as nossas famílias no “almoço de domingo”.

A mulher e o homem do campo precisam ser lembrados e homenageados sempre. A força com que conduzem sua vida e seu legado na agricultura deve ser motivo de orgulho, não apenas em família, mas em todo o Brasil, do interior aos ambientes mais urbanos. Esse ano, a música virou uma partitura ilustrada, trazendo cada um dos elementos do agro e seus impactos em nossa vida, narrando a lida como uma arte. É uma singela homenagem a quem faz tanto pelo país.

A BASF Soluções para Agricultura tem uma parceria de longa data com os agricultores brasileiros e a história do agricultor é uma das nossas inspirações para cultivar, construir e cuidar deste legado. Não seria diferente agora, quando todos nós precisamos nos unir, mesmo à distância, para superar os desafios que atingem a sociedade.

Registro aqui meu CONVITE a cada um de nós que, assim como eu, não pensava muito “de onde vem minha comida”, que não é da prateleira do supermercado, a CONHECER um pouco mais do ‘TRABALHO NO CAMPO’, seus desafios e suas contribuições para nosso dia a dia.

Deixo aqui minha GRATIDÃO e meus PARABÉNS a todos vocês, agricultores e agricultoras do Brasil.

Tags:
Por:
Eduardo Novaes
Fonte:
BASF

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário