A oportunidade do desenvolvimento do mercado nacional de café por meio da gestão da estratégia do portfólio de produtos

Publicado em 27/08/2021 14:49 320 exibições
Os autores deste artigo são estudantes de administração de empresas da EAESP/FGV e membros da Agroliga

A aplicação eficiente de técnicas de marketing mix por produtores e distribuidores brasileiros da cadeia do café é fundamental para o usufruto e aproveitamento do mercado interno.

 Por conta da cultura brasileira de consumo de café, a perspectiva de estabilidade e crescimento do mercado interno, mesmo diante de períodos de recessão, oferece espaço para o aumento do valor agregado ao produto, e, consequentemente, expansões nos índices de lucro de produtores, processadores e distribuidores.

Apesar de seu crescimento médio mais elevado, a complexidade de variáveis que influenciam a performance exportadora do setor atribuem relativa instabilidade e desafios de previsão de oferta e demanda. Dentre estes, por sua vez, destacam-se:

  • Cotação cambial;
  • Crescimento do PIB dos maiores compradores (tendência de crescimento na demanda)
  • Guerras e incentivos fiscais;

Em contraste com seu crescimento mais lento, a certeza e magnitude do mercado consumidor nacional o torna promissor, especialmente por conta do baixo interesse histórico de seu desenvolvimento em comparação ao comércio transnacional.

Uma vez identificado como uma oportunidade aos produtores, a adoção de estratégias de posicionamento lastreadas no entendimento das necessidades específicas do consumidor nacional para uma aplicação acertiva de ferramentas de Marketing Mix é fundamental para, tanto para o aumento da base de consumidores, quanto para a expansão de sua disponibilidade a pagar.

Dada a variabilidade de características apreciadas por regiões, faixas-etárias ou mesmo ocasiões de consumo, a gestão de portfólio oferece uma série de oportunidades para a consolidação e fidelização da base de clientes. Dentre estas é possível desenvolver a expansão das necessidades atendidas, especialização em nichos de mercado e aumento no valor agregado do produto.

Diante do intuito de expandir a receita operacional em função do volume de vendas, a extensão do portfólio é recomendada.

Caracterizada pelo oferecimento de linhas voltadas a necessidades distintas, a criação de artigos como bebidas frias, de garrafas portáteis ou mesmo de derivados alcoólicos oferece, tanto uma base maior de possíveis clientes, quanto a expansão de situações e, consequentemente, volumes médios de consumo.

Além de uma única xícara de café consumida durante a manhã ou tarde, pois, o oferecimento de linhas mais extensas de produtos propicia a melhoria de uma série de índices de desempenho, tanto da empresa, quanto do setor em si.

Algumas das formas de medição de desempenho possivelmente beneficiadas pela gestão estratégica do portfólio são:

Share of Requirements (Proporção do valor gasto pelo cliente com os produtos da empresa em relação ao setor – Café ou Bebidas) – Empresa

Consumo médio de bebida per capta (substituindo o consumo de bebidas como energéticos e chás); - Setor

Penetração de Marca: Percentual da  população que consome a marca - Setor

Penetração de Mercado: Percentual da população consumidora de cafeinados – Setor

Além do benefício individual gerado, a gestão do portfólio de acordo com as necessidades do consumidor nacional é um modo viável para o desenvolvimento e diversificação de formas e volume de consumo nacional de café, mitigando, pois, os riscos advindos da orientação majoritariamente exportadora da cafeicultura nacional.

Autores : Ricardo Hototian / Hugo Soares / João Bernardino

 

Tags:
Por:
Ricardo Hototian / Hugo Soares / João Bernardino
Fonte:
EAESP/FGV

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário