Milho & Soja: O outro lado do potencial altista para o complexo agrícola, por Liones Severo

Publicado em 23/11/2020 08:49 e atualizado em 23/11/2020 10:12 2719 exibições

- 1) Em todas as grandes crises, os países precisaram estimular as economias pela expansão monetária através da emissão de moedas que geraram processos inflacionários, resultando em forte desarranjo dos índices agregados das economias daqueles países. Desta vez, o evento ou causa foi COVID-19.

- 2) O dólar americano por ser a moeda mais representatividade mundial com 80/85% de participação das transações globais, é o vetor ou indicador das ameaças dos processos inflacionários.

- 3) Nos processos inflacionários globais, os primeiros impactos altistas são nas commodities em geral, tanto nas cultivadas como nas mineradas. Esta é razão dos preços em elevação porque é o refúgio ou a cobertura (hedge) do fluxo de capital para se proteger dos processos inflacionários. Notadamente porque os preços das commodities embutem o processo inflacionário e tem o valor básico de custeio e não podem valer zero, sendo elas também responsáveis pela sustentabilidade da humanidade.

- 4) Em todos os eventos mundiais, como as duas grandes guerras, a crise do petróleo, a crise do sub prime nos EUA em 2008, em que foram necessários medidas de expansão monetária das principais moedas, sempre houve forte realce nos preços das commodities. É exatamente o que esta acontecendo com a pandemia do Covid-19.

- 5) A maior série histórica dos preços mais elevados das commodities, aconteceu a partir de 2008 até 2014, porque com a crise do sub prime, o FED/EUA fizeram estímulos de 85 bi de dólares mensais durante esses anos. Naquele período o valor do dólar caiu de 104 para 88 pontos e agora com efeito da pandemia saiu de 103 e já está em 92 pontos. Esta é a razão dos preços agrícolas estarem em tendência altista, agregando ainda um choque de oferta fundamentalista, como temos antecipado.

- 6) A moeda Chinesa (Yuan ou Renminbi) fez o movimento contrário ao valor do dólar, se valorizando no mesmo período, saindo 7,14 por 1 dólar, para os atuais 6,58 :1 dólar. Isto significa que no somatório da valorização do Yuan e a desvalorização do dólar, resultou em uma redução de quase 20% no custo das importações de commodities pela China. É mais uma das razões para manter o forte assédio pelos alimentos a nível global. 

- 6) O gráfico anexo confirma a maior série histórica do complexo agrícola acima descrito, e mostra o desempenho simultâneo dos preços da Soja, Milho e Trigo, tale-quale deverá se repetir no médio/longo prazo.

Artigo Liones Severo - Artigo

- 7) É obvio por obviedade que os dois maiores países produtores e exportadores de Soja & Milho, EUA e Brasil, estando em escassez soberana, não haverá recorrência na limitação do desempenho dos preços, a não ser pelo racionamento nos mercados consumidores e/ou reposição do déficit desses produtos, cuja solução poderá levar alguns anos. 

Portanto, o conjunto dos esforços altistas para o complexo agrícola é o mais consistente desde a revelação das commodities agrícolas para o mercado mundial, que data de 1970, como demonstram os gráficos.

Por último mas não menos importante. Há muitos anos, a semana do dia de ‘Ação de Graças’, que se comemora na última quinta feira do mês de novembro, os preços das commodities agrícolas tem forte desempenho altista, provavelmente passará os us$ 12,00 por bushel,
 

Grato,
Liones Severo

Tags:
Fonte:
SIMConsult

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário