Stephanes, ex-ministro da Agricultura, alerta para risco de paralisação no envio de produtos agrícolas para Argentina

Publicado em 01/02/2012 16:46 577 exibições
O ex-ministro da Agricultura, deputado federal Reinhold Stephanes (PSD/PR), alerta para o risco de interrupção no embarque de produtos agropecuários para a Argentina, principalmente a carne suína. A interrupção pode ocorrer devido à suspensão das licenças automáticas de importação e o aumento da burocracia adotados pelo governo argentino a partir de hoje (1º).
 
Stephanes teme que as novas medidas impostas pelo governo possam aumentar o tempo de embarque dos produtos, já que as providências a serem adotadas pelos exportadores vão desde a apresentação de declaração juramentada junto à Receita Federal até o envio de e-mail à Secretaria de Comércio Exterior com pedido de liberação e planejamento de exportação para cada operação de compra.
 
Para o ex-ministro, a suinocultura, principalmente do Paraná e de Santa Catarina, pode ser prejudicada pelas medidas, já que o setor tem uma dinâmica diferenciada, devido à natureza da atividade. "O alto custo da armazenagem, por exemplo, é um fator que pode inviabilizar a operação", pondera.
 
Stephanes ressalta que cabe ao governo brasileiro negociar a situação com a Argentina para encontrar uma saída. No momento, o Ministério da Indústria e Comércio Exterior desconhece quais os setores serão alcançados pelas medidas e, na semana que vem, a secretária de Comércio Exterior, Tatiana Prazeres, deve ir a Buenos Aires tratar do assunto. Segundo o deputado, o Brasil importa produtos de peso na economia agentina, como leite, vinho e trigo, o que dá margem para que se adote uma posição de reciprocidade na relação comercial entre os dois países.
 
A Argentina é o terceiro principal destino das exportações brasileiras. No ano passado, o mercado argentino respondeu por 8,1% do volume das exportações de carne suína, ficando em quarto lugar no ranking de países. O volume médio mensal exportado para o mercado argentino ao longo do ano passado foi de 3.464 toneladas, com faturamento médio de US$ 10,7 milhões. No total, as exportações para Argentina no ano passado atingiram em volume 41.578 toneladas (aumento de 18,2%) e em valor US$ 129 milhões (mais 28%).
Tags:
Fonte:
Dep. Fed. Reinhold Stephanes

0 comentário