Criada FATEC Shunji Nishimura na cidade de Pompeia (SP)

Publicado em 21/05/2012 09:51 e atualizado em 21/05/2012 11:31 1556 exibições
No último dia 21 de abril foi criada oficialmente a FATEC Shunji Nishimura, na cidade de Pompeia (região Oeste do Estado de S. Paulo). O decreto de criação da instituição foi apresentado aos presentes na cerimônia de criação pelo governador do estado de São Paulo, Geraldo Alckmin. 

Em seu informativo, a Fundação Shunji Nishimura de Tecnologia explica um pouco sobre o curso da instituição: "Utilizando toda a estrutura da Fundação Shunji  Nishimura de Tecnologia, foi criado em 2009 o inédito curso superior de tecnologia “Mecanização em Agricultura de Precisão”, ministrado pela então Faculdade de Tecnologia de Marília – Campus Pompeia, atualmente Fatec Shunji Nishimura.O ineditismo marca a criação desse curso no Brasil, uma vez que formação similar pode ser encontrada apenas em uma universidade dos Estados Unidos".

Clique no link abaixo e veja o informativo completo:


No site da Coopercitrus: Fundação Shunji Nishimura sediará curso da FATEC

De imigrante pobre que veio do Japão apenas com sonhos e esperança, diretamente para a cidade de Pompéia, no interior de São Paulo, Shunji Nishimura trabalhou como boia-fria na colheita de café, foi garçom e mecânico e em 1948 fundou uma das maiores fábricas de pulverizadores agrícolas do mundo, a Jacto.

Em 1982, como meio de retribuir ao Brasil e à agricultura por tudo que lhe ofereceram, começou a investir na formação de jovens para trabalhar na agricultura. Assim, através da Jacto, criou a Fundação Shunji Nishimura de Tecnologia e inaugurou o Colégio Técnico Shunji Nishimura (cursos técnicos em agricultura, mecânica e eletroeletrônica), em 1989 o Colégio Shunji Nishimura, de Ensino Fundamental e, em 2005, a Escola Profissionalizante Chieko Nishimura que oferece o curso de Aprendiz em Mecânico de Usinagem Industrial.

O Colégio Técnico Shunji Nishimura, em convênio com o SENAI/SP passa, a partir deste ano, a se denominar Escola SENAI Shunji Nishimura com os cursos técnicos de mecânica e eletroeletrônica.

Na época em que criou sua Fundação, Shunji jamais imaginou, nem em seus melhores sonhos, que algum dia a Fundação seria sede de um curso da FATEC Marília, fato que se concretizou no dia 7 de outubro com a oficialização do convênio entre o Governo de São Paulo e a Fundação Shunji Nishimura, que, a partir de agora, passa a funcionar também como FATEC – Campus Pompéia, oferecendo o curso superior de tecnologia em Mecanização em Agricultura de Precisão, inédito no País. As Universidades de Oklahoma e Arizona, nos Estados Unidos, oferecem curso similar.

O secretário de desenvolvimento do Estado, Geraldo Alckmin, esteve presente em Pompéia, no evento que oficializou o convênio. A solenidade de assinatura do convênio reuniu ainda autoridades da região e representações políticas regionais, além de César Silva, vice-diretor superintendente do Centro Paula Souza, Jorge Nishimura, presidente do Grupo Jacto e Alberto Issamu Honda, diretor executivo da Fundação Shunji Nishimura.

Com o convênio, a Fundação dará toda a estrutura física necessária para o curso, enquanto a FATEC proporcionará todo o processo didático e os professores que ministrarão as aulas. 

“Receber este investimento é muito importante para a cidade. Hoje sobram vagas e faltam profissionais qualificados e é neste propósito que estamos empenhados. Este novo curso é de ponta, de alta tecnologia e muito avançado em termos de agronegócio. Além disso, fico muito feliz de estar aqui com a família Nishimura, sou um admirador da Jacto. Nós estamos unindo duas instituições de excelência no Brasil, que é o Centro Paula Souza e a Fundação Shunji Nishimura, unindo o que há de excelência para termos bons tecnólogos para São Paulo e para o Brasil. A Jacto é um orgulho paulista, um orgulho brasileiro”, ressaltou Alckmin. 

O presidente do Grupo Jacto, Jorge Nishimura, encara o convênio como uma visão de futuro e também como a realização de um sonho, tanto para a instituição, quanto para Pompéia e para a sociedade. “Estamos todos subindo mais um degrau na educação. Queremos agradecer ao Estado pela confiança e pelos que tornaram esse projeto possível”.

Os profissionais formados poderão atuar em empresas ligadas ao segmento de agronegócios e que utilize máquinas, implementos, insumos, tais como fazendas, usinas e destilarias de álcool, fabricantes de softwares para o setor, entre outros.

“Até hoje, não existia curso especializado nessa área. Aqui, alunos terão não só o conhecimento em agricultura, como também em software, máquinas, parte eletrônica, hidráulica e mecânica”, explicou o diretor executivo da Fundação, Alberto Honda. 

Para Honda, o novo curso atende a necessidade de melhoria da mão-de-obra envolvida na mecanização da agricultura. “Atualmente a mecanização da agricultura envolve máquinas de altíssima tecnologia, ligadas com satélites, GPS, sistemas computadorizados, automação, então temos conhecimento que os operadores não dispõe, tampouco os administradores ou responsáveis pelas operações. Precisamos de uma gestão técnica profissionalizada, gente competente, para o Brasil continuar em sua evolução tecnológica”, finalizou.

Mecanização em Agricultura de Precisão
O curso superior de tecnologia em Mecanização em Agricultura de Precisão, terá duração de três anos, é totalmente gratuito e disponibilizará 80 vagas em Pompéia, divididas entre os turnos diurno e noturno. 

O mercado de trabalho para o profissional formado no curso superior de tecnologia Mecanização em Agricultura de Precisão, é bastante amplo. Ele pode atuar em empresas ligadas aos segmentos do agronegócio e que utilizem máquinas, implementos, insumos, equipamentos de informática e serviços para a produção agropecuária. 
Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário