Entrega de fertilizantes ao consumidor final aumentou

Publicado em 21/08/2012 08:31 399 exibições
Segmentos de defensivos e sementes também apresentam alta.
Dados da Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda) apresentados na Câmara Temática de Insumos Agropecuários nessa segunda-feira (20), em Brasília, apontam que o setor calculou uma expansão entre janeiro e julho de 2012 de 3,5% em relação ao mesmo período de 2011.

No mesmo período, as importações de fertilizantes intermediários reduziram 6,7%, de 11.121 mil toneladas para 10.376 mil toneladas. As reduções observadas foram de 6,8% nos fertilizantes nitrogenados, 1,4% nos fosfatados e 7,8% nos fertilizantes potássicos.

Apesar da greve de fiscais em todo o país, nos primeiros sete meses deste ano foram entregues 14.339 mil toneladas de fertilizantes ao consumidor final. No mesmo período de 2011, foram entregues 13.854 mil toneladas. “Temos carga para desembarque que está há mais de 45 dias no navio, esperando liberação da papelada”, enfatizou David Roquetti Filho, diretor executivo da Anda.

O total de nutrientes (NPK) entregues alcançou evolução de 2,9% em relação ao mesmo período de 2011, saindo de 5.700 mil toneladas para 5.864 mil toneladas. Os fertilizantes fosfatados (P2O5) registraram aumento de 6,0%, passando de 1.930 mil toneladas em 2011 para 2.046 mil toneladas em 2012. Destacou-se as culturas de milho safrinha, algodão, plantio de cana-de-açúcar e uma aceleração nas entregas para safra de verão de soja/milho.

No período, o Estado do Mato Grosso concentrou o maior volume de entregas de fertilizantes, atingindo 2.822 mil toneladas, seguido de São Paulo com 2.034 mil toneladas, Paraná com 1.893 mil toneladas e o Rio Grande do Sul com 1.489 mil toneladas. 

A produção nacional de janeiro-julho/2012 alcançou 5.358 mil toneladas, contra 5.428 mil de toneladas nos mesmos sete meses de 2011. Foram registrados crescimentos nas produções dos fertilizantes nitrogenados de 5,2% e fosfatados de 9,3%, enquanto os potássicos apresentaram redução de 9,0%.

Defensivos 

A Associação Nacional de Defesa Vegetal (Andef) identificou forte antecipação de compras na região Centro-Oeste e MATOPIBA, formada por municípios produtores do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. Entre janeiro e maio de 2012, o consumo de herbicidas subiu 40% com destaque para o aumento de consumo nas lavouras de milho, fumo, cana-de-açúcar e feijão e queda nos mercados de arroz e citros.

O segmento de inseticidas cresceu 55% no mesmo período devido ao crescimento nos mercados de algodão, soja, cana, citros e feijão. Foram usados menos inseticidas nos mercados de tomate, cereais e arroz. No geral, as vendas de defensivos acumuladas até maio de 2012, apresentaram crescimento de 36%, sendo que a variação cambial do período atingiu 19%.

Sementes

Devido à quebra de safra nos Estados Unidos, a conjuntura para o mercado de sementes no Brasil em 2012/13 é positiva, de acordo com a Associação Brasileira de Sementes e Mudas (Abrasem). A previsão é de alta nos preços e nas exportações, com produção estimada em 165,92 milhões de toneladas, 1,9% a mais do que na safra 2011/2012.

Não devem haver problemas de oferta de sementes para a safra. Até o memento, Mato Grosso, Paraná, Goiás e Minas Gerais estão com mais de 80% das sementes vendidas.
Tags:
Fonte:
Mapa

0 comentário