Viabilidade para hidrovias no Centro-Oeste será discutida em Brasília para desafogar rodovias

Publicado em 25/03/2013 07:43 310 exibições

A viabilidade da construção de hidrovias em Mato Grosso e no Brasil é tema do "Simpósio Hidrovias Brasileiras", que será realizado dia 4 de abril, em Brasília, pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), com o apoio do Movimento Pró-Logística. Este é o primeiro de uma série de quatro simpósios sobre o assunto que serão realizados durante o ano, sendo três em Brasília e um em Mato Grosso.

Atualmente, existem estudos para viabilizar oito hidrovias nas bacias brasileiras. Em Mato Grosso os projetos são a hidrovia Teles Pires-Tapajós, Arinos-Juruena-Tapajós, Tocantins-Araguaia e a Paraguai-Paraná, esta última favorecendo a ligação entre Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e países como a Bolívia, Argentina, Uruguai e Paraguai. Somente com a implantação da hidrovia do Teles Pires-Tapajós seria possível reduzir os custos do frete mato-grossense em 60%.

Segundo o diretor executivo do Movimento Pró-Logística, Edeon Vaz, é necessário manter o assunto em evidência e trabalhar para que os investimentos em projetos de viabilidade das hidrovias aumentem. "O objetivo desses simpósios é levar conhecimento à comunidade interessada no assunto, sobre as ações que cada órgão está fazendo para viabilizar as hidrovias. Além disso vamos informar os projetos que já estão em andamento e os projetos que o Movimento Pró-Logística defende como sendo necessários para implantação deste modal", comenta Vaz.

De acordo com o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), Rui Prado, a discussão deve ganhar força, principalmente por conta da situação precária das estradas e dos terminais de escoamento da produção que evidenciamos no escoamento da safra 2012/2013. "Temos condições de investir em outros modais para desafogar o trânsito de caminhões e carretas nas estradas e deixá-las mais seguras para os veículos de passeio. Para isso, um dos modais mais adequados são as hidrovias", destaca Prado.

O evento deve contar com a participação de órgãos como a Agência Nacional de Transporte Aquaviários (Antaq), Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e Empresa de Pesquisa Energética (EPE), além de parlamentares e suas assessorias, representantes do Poder Executivo, Ministério da Agricultura e Ministério dos Transportes.

Serão palestrantes o superintendente de navegação interior da Antaq, Adalberto Tokarski, o diretor de infraestrutura aquaviária do DNIT, Adão Proença, o gerente de projetos da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Paulo Roberto Amaro, e o diretor executivo do Movimento Pró-Logística, Edeon Vaz. Eles falarão sobre as ações de cada órgão para a implantação das hidrovias no país.

Movimento Pró-logística - O Movimento Pró-logística é uma união de entidades mato-grossenses que tem o objetivo acompanhar projetos de desenvolvimento logístico e propor soluções que possibilitem ganhos econômicos, sociais e ambientais para Mato Grosso. O grupo é composto por diversas entidades, entre elas a Famato, Aprosoja, Acrimat e Ampa.

Tags:
Fonte:
Famato

0 comentário