Publicidade

Exportações paranaenses recuam no primeiro trimestre de 2013

Publicado em 24/04/2013 17:54 480 exibições
Os dados da Secretaria de Comércio Exterior (SECEX) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comercio (MDIC), divulgados hoje (24/04) mostram que no 1º trimestre de 2013, as exportações paranaenses assinalaram decréscimo de 10% em comparação ao mesmo período de 2012.

De janeiro a março deste ano, as exportações ficaram em US$ 3,44 bilhões, quando em igual período de 2012 foram de US$ 3,84 bilhões. Já as importações totalizaram US$ 4,42 bilhões, ou seja, um recuo de 4,7% sobre igual período de 2012 (US$ 4,64 bilhões). A pauta das principais importações consta de veículos e equipamentos, fertilizantes, petróleo e trigo. O saldo negativo da Balança Comercial do Paraná foi de US$ 986 milhões.
 
Clique aqui para ampliar!

Exportações do agronegócio do Paraná - No primeiro trimestre de 2013, as exportações do agronegócio paranaense somaram US$ 2,53 bilhões, uma queda de 4,85% relativamente ao mesmo período de 2012 (US$ 2,66 bilhões), resultado da queda no volume comercializado e nos preços internacionais de alguns agregados setoriais.

Os produtos do agronegócio ainda representam 74% das exportações totais do Paraná e no entorno de 12% das exportações do agronegócio brasileiro (US$ 20,57 bilhões), ocupando o terceiro lugar no ranking nacional, atrás de São Paulo e Mato Grosso.

O saldo das exportações brasileiras do agronegócio no período analisado foi de US$ 16,3 bilhões.  É o que apontam os dados do agronegócio divulgados pela Secretaria de Relações Internacionais, do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

Clique aqui para ampliar!


Clique aqui para ampliar!

Nas exportações do agronegócio paranaense, os principais agregados setoriais, em ordem decrescente foram: complexo soja, complexo carnes, produtos florestais, complexo sucroenergético.  Esses agregados participam com 76% das exportações do agronegócio estadual.  

Complexo Soja e Milho - o complexo soja (grão, farelo, óleo), no acumulado de janeiro a março/13 registra uma receita de US$ 863 milhões e representa 34% das exportações do agronegócio, ainda sustentando as exportações paranaenses, apesar do decréscimo registrado de 20%, comparativamente ao mesmo período do ano de 2012 (US$ 1,0 bilhão).

As exportações de soja em grão totalizaram US$ 504 milhões e um volume exportado de 951 mil toneladas, assinalando queda de 20% no período, em função da conjuntura internacional e problemas de infraestrutura.  O preço médio de exportação da soja em grão foi de US$ 530,30 por tonelada, um acréscimo de 16% em relação ao preço de igual período de 2012 (457,30/t). As exportações de farelo de soja resultaram em receita de US$ 240 milhões. As exportações de óleo (bruto e refinado) somaram US$ 118 milhões.

As exportações de milho geraram receita de US$ 275 milhões e volume embarcado de 968 mil toneladas, apontando aumento de 120% na receita, comparativamente ao mesmo período do ano de 2012 (US$ 125 milhões). No caso do milho, a possibilidade de oferta recorde norte-americana somada à produção brasileira de milho, poderá gerar problemas futuros no escoamento para o mercado externo.

Complexo Carnes - o complexo carnes (aves, suína e bovina) ocupa o segundo lugar nas exportações do agronegócio estadual. A receita foi de US$ 572 milhões, alavancada pelas exportações de carne de frango. Esse agregado contribui com 22% das exportações totais do agronegócio.

As exportações de carne de frango somaram US$ 467 milhões, participando com 81% na geração de divisas do complexo carnes.  O volume exportado foi de 243 mil toneladas. As exportações de carne suína totalizaram US$ 21 milhões e volume exportado de 8 mil toneladas, prejudicadas pelos embargos da Rússia e Ucrânia. As exportações de carne bovina apontam crescimento na receita de 160%, passando de US$ 10,8 milhões para US$ 17,9 milhões.  O primeiro trimestre de 2013 foi favorável ao setor e o foco é o próximo trimestre, com expectativa de desempenho dos três agregados setoriais.

A carne bovina aponta tendência de maior oferta de boi gordo e queda de preços. Já as carnes de frango e suína apontam desempenho favorável, apesar da carne suína ter registrado retração nas exportações, devido à queda nas aquisições por parte da Ucrânia. Já na carne de frango é necessário que logre retomar o ritmo de vendas nas exportações, haja vista as diminutas possibilidades de mudança no perfil de demanda interna e a oferta interna recorde no segundo trimestre de 2013.

Produtos Florestais – terceiro agregado em ordem de valor, representa 12,5% do total do agronegócio, receita de US$ 317 milhões, crescimento de 7,8% em relação a igual período de 2012 (US$ 294 milhões).

Sucroenergético – quarto agregado em ordem de importância, as exportações do complexo sucroenergético somaram US$ 184,9 milhões, registrando queda de 9,5% relativamente ao mesmo período de 2012 (US$ 204,4 milhões).  Os preços do açúcar no mercado internacional apontaram baixa no período, passando de US$ 579,94/t para US$ 490,70/t.

Café - as exportações do complexo café (café verde, torrado, solúvel, extratos e essências) atingiram US$ 101 milhões, com queda de 14% em relação ao mesmo período de 2012, quando totalizaram US$ 118 milhões.

Mercados compradores - houve crescimento nas exportações para o Vietnã (283%); Malásia (195%); Japão (195%); Coréia do Sul (56%).  O fluxo de exportação também foi maior para o Egito (48%). Para a União Europeia houve recuo de 14%. Quanto ao Oriente Médio observou-se aumento no fluxo de exportação (19%).
Tags:
Fonte:
Faep

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário