Publicidade

Commodities agrícolas encerram a sexta-feira(10) em queda nas principais bolsas de futuros

Publicado em 10/05/2013 18:51 e atualizado em 10/05/2013 19:40 435 exibições
As commodities agrícolas encerraram a sexta-feira(10) com queda das cotações nas principais bolsas de negócios futuros. Soja , milho e trigo tiveram influência do relatório de oferta e demanda do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos). O mercado recuo depois que os números de produção para a nova safra de grãos do país ficaram acima do esperado . Sobre a safra velha, os números apresentaram pouca variação em relação ao boletim anterior. No caso da soja, os vencimentos agosto e setembro fecharam o dia com 10 pontos de baixa. No milho, as perdas para o setembro e o dezembro foram de, respectivamente, 11,50 e 12 pontos.

O café na Bolsa de NY também teve um dia de forte recuo nas cotações, devolvendo os ganhos do dia anterior. O mercado passou por uma correção técnica após os bons resultados da semana e também foi pressionado pela firmeza do dólar contra outras moedas. A firmeza do dólar índex  acabou sendo o fator de pressão de baixa também de outras commodities nas bolsas de futuros. Os contratos com entrega em julho de 2013 fecharam negociados a 144,45 centavos de dólar por libra-peso, com queda de 3,45 centavos, ou de 2,3%.
 
    Também na Bolsa de Nova York,  o açúcar bruto encerrou o pregão dessa sexta-feira (10) com cotações em queda. O mercado adotou uma postura de consolidação no último pregão da semana. Além da firmeza do dólar index, a expectativa de uma colheita recorde de cana-de-açúcar no Brasil continua pesando no mercado. Os contratos com entrega em julho encerraram a 17,43 centavos de dólar por libra-peso, perda de 0,04 ct/lb (-0,22%) na comparação com o fechamento
anterior.
 
     Já para o algodão negociado em NY, o motivo da queda foi o relatório de oferta e demanda divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que num primeiro momento pareceu altista para os EUA e baixista para o mundo, com estoques para 2013/14 estimados em níveis recordes. Entretanto, uma melhor observação revela que uma grande porcentagem da safra está sendo trancada nas reservas do principal consumidor da fibra, a China. Fora da China, os inventários globais devem cair modestamente. O contrato julho/13 fechou em 86,48 cents de dólar por libra-peso, com perdas de 1,44 cent, ou 1,63%.

Tags:
Fonte:
Redação NA

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário