Soja : uma visão pragmática da desvalorização cambial, por LIONES SEVERO

Publicado em 21/06/2013 15:36 2249 exibições
Liones Severo é Consultor do SIMConsult.

Os mercados mundiais sofreram um forte baque com a decisão do Banco Central Americano de diminuir o ritmo da economia norte-americana através da redução da expansão monetária (emissão de moeda/dólar). Durante 2 anos, os Estados Unidos desvalorizaram o dólar para melhorar sua competitividade nas exportações e irrigar sua combalida economia. Em abril de 2011, os Estados Unidos estiveram tecnicamente quebrados por haver esgotado as verbas do orçamento daquele ano. A medida de recuperação veio através da desvalorização da moeda/dólar com emissão mensal de cerca de 86 bilhões de dólares. Já não tem mais essa condição porque seu endividamento superou o PIB.

Não é novidade que os países em crise recorram `a desvalorização de suas moedas em relação ao dólar. Assim aconteceu com a recuperação de Israel em 1986, o México em 1994 e o Tigres Asiáticos e Leste Europeu em 1997. A China também adota a política de manter o Yuan (moeda Chinesa) desvalorizada em relação ao dólar, e esta tem sido a razão maior de seu desenvolvimento. Assim tambem com a grande maioria dos países asiáticos, que não somente tem um alto crescimento, como também tem suas vantagens de baixo custo de vida internamente.

Muitas opiniões dizem que o Brasil terá sua inflação aumentada pela desvalorização do Real ou a valorização do dólar atualmente. A afirmação é completamente descabida... Se assim fosse, os Estados Unidos teriam uma inflação recorde nestes últimos 2 anos e a China também teria uma inflação insuportável -- por sua decisão de manter sua moeda desvalorizada em relação ao dólar. Ambos esses países tem inflação ao redor de 3%, enquanto que o Brasil (com o Real forte em relação ao dólar), já suporta uma inflação que este mês bateu 6,67% vs 6,46% em Maio, acima do limite estabelecido pelo Banco Central Brasileiro de 4,5%.

 Desde algum tempo o custo Brasil é considerado o 4º. País mais caro do mundo, comparado a Hong Kong. Esta condição foi alcançada através de uma forte inflação mascarada. Não é possível que o custo Brasil seja 2 vezes maior que o custo Americano e pelo menos 6 vezes maior que custo Chinês!!!... A falta de investimentos em infraestrutura, saúde, educação, etc., e com a moeda forte em relação ao dólar, estava levando nosso país `a "argentinização", cuja economia não é referencia porque esta praticamente estatizada e,no passado recente, exacerbou na valorização do Peso.

O Brasil tem cerca de 3% da população mundial e por isso é eminentemente um país exportador. Somos os maiores exportadores no complexo soja, milho, carnes, açúcar, suco de laranja, café, etc... Nossa moeda desvalorizada em relação ao dólar irá recompor os preços de sustentação desses produtos. Melhorias também para custo de vida, já que com o dólar valorizado diminui o custo de vida no País, assim como acontece nas nossas duas referencias (Estados Unidos e China). Muitos brasileiros viajam para os Estados Unidos para fazer compras !!! – Portanto, não faz nenhum sentido que um país em desenvolvimento como o Brasil recorra a comprar barato num país da maior economia mundial. O segredo está exatamente na politica da desvalorização de sua moeda que mantiveram nesses 2 últimos anos.

 A  União Europeia também vive o mesmo tormento com o EURO valorizado em relação ao dólar. Agora, tem chance de recuperar suas economias e inclusive reduzir seus endividamento em relação ao PIB, em que a maioria dos países da União Europeia esta acima dos 100 por cento...

 Se as agencias de classificação  de risco baixarem a classificação do Brasil, os títulos brasileiros seriam negociados com deságio no exterior, o que poderá impulsionar, ainda mais, a valorização do dólar em relação ao Real. Seria inflacionário num primeiro momento, mas traria uma grande contribuição para o setor exportador e industrial do Brasil. 

Já vivemos este momento em 2003/2004 quando a relação atingiu 4,00 reais por dólar e a economia brasileira alcançou um grande avanço. É logico que para fazer esse omelete precisa quebrar o ovo !!!

 Se a desvalorização da moeda local é vantajosa para os Estados Unidos e a China, que são países exportadores como o Brasil, por que seria ruim para nos???

Tags:
Fonte:
SIM Consult

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

3 comentários

  • Eduardo Lima Porto Porto Alegre - RS

    Bravo Severo!!! Os anos de experiência aliados à atualização técnica permanente produz como resultado a Sabedoria. Teu Artigo demonstra isso de maneira cristalina.

    0
  • JUSTINO CORREIA FILHO Bela Vista do Paraíso - PR

    Artigo esclarecedor, parabéns pela excelente análise Sr Liones Severo!

    0
  • Marcelo Soares Rocha pedras altas - RS

    Excelente análise Liones Severo! Nós temos que apreender com o passado e termos atitudes corretas para o nosso desenvolvimento. Somos essencialmente exportadores, pois temos uma população que não consome tudo o que produzimos. Estabilidade econômica se consegue com muito trabalho e produção, mas usados conjuntamente com inteligência. Parabéns!

    0