Na VEJA: Juiz autoriza transferência de Dirceu, Delúbio e Genoino para o regime semiaberto

Publicado em 18/11/2013 18:09 485 exibições
Petistas serão levados ainda nesta segunda-feira para penitenciária em regime semiaberto, no Centro de Progressão Penitenciária (DF) (+ Folha + Estadão)

O juiz Ademar Silva de Vasconcelos, titular da Vara de Execuções Penais do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, autorizou nesta segunda-feira, em decisão individual, a transferência dos petistas José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares para um centro específico que garanta a eles o cumprimento das penas em regime semiaberto. De acordo com o Tribunal de Justiça do DF, os três serão levados ainda nesta segunda-feira para o Centro de Progressão Penitenciária (CPP), no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA) de Brasília.

A transferência do trio petista para o regime semiaberto era uma dos principais pleitos da defesa. Na última quarta-feira, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu pela execução imediata das sentenças dos condenados em relação às penas que não são mais contestadas por meio de embargos infringentes. Isso significa que José Dirceu, por exemplo, terá de iniciar o cumprimento da pena pelo crime de corrupção ativa em regime semiaberto enquanto aguarda que a Corte julgue o recurso que contesta a imputação por formação de quadrilha. O tempo cumprido agora no semiaberto também será abatido da pena total, que inclui o crime de quadrilha. 

Nesta segunda-feira, o Departamento Penitenciário Nacional (Depen) rebateu advogados dos mensaleiros que apontaram más condições da prisão onde os mensaleiros estão encarcerados. Segundo o departamento vinculado ao Ministério da Justiça, as prisões foram feitas em caráter provisório, e os condenados foram levados diretamente para o presídio da Papuda porque a Vara de Execuções Penais do Distrito Federal se recusou a definir o futuro de cada mensaleiro antes de receber a carta de sentença. De acordo com o Depen, todos os presos estão em instalações com dois treliches cada, recebendo alimentação conforme prescrição médica e com direito a duas horas de banho de sol por dia. Nas primeiras noites no presídio da Papuda, o trio petista formado por José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares dividiu a mesma cela.

Na FOLHA: 

Apoiadores do PT são hostilizados na Papuda

Um grupo de cerca de vinte apoiadores, ligados ao PT e PC do B, foi hostilizado nesta segunda-feira (18) nas proximidades do complexo penitenciário da Papuda, onde estão presos os réus condenados no mensalão, como José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares

Um agente penitenciário, que estava de capacete e com um coldre na coxa, ameaçou descer e disse que não tinha medo dos apoiadores. Ele havia perguntado por que eles estavam ali e ouviu como resposta que o grupo estava em solidariedade aos companheiros de partido presos. O agente então completou: "os mensaleiros?".

Um dos petistas disse que considerava a expressão pejorativa, e foi quando o agente ameaçou descer.

Mais cedo, uma pessoa gritado de dentro carro que saía da Papuda : "Que porra é essa?", enquanto a família Genoino recebia a solidariedade do grupo de petistas. A mulher de Genoino e os dois filhos não quiseram falar com a imprensa, mas relataram aos apoiadores que a principal preocupação era com o estado de saúde do ex-presidente do PT.

  Pedro Ladeira/Folhapress  
A esposa de Genoino, Rioco, e os filhos Ronan e Miruna são recebidos por petistas em frente ao complexo penitenciário da Papuda
A esposa de Genoino, Rioco, e os filhos Ronan e Miruna são recebidos por petistas em frente ao complexo penitenciário da Papuda

O grupo de petistas ainda foi chamado de "vagabundos" por alguém que estava dentro de outro veículo. Essa pessoa também afirmou que eles seriam os próximos a serem detidos.

Ao longo do dia, a quantidade de apoiadores variou entre dez e vinte. Eles montaram uma tenda e guardam comida e bebida.

Membro do diretório do PT do Distrito Federal, Wesley Soares diz que o grupo ficará até a "arbitrariedade" do regime fechado ser desfeita. "Ficaremos até os camaradas saírem. Até que essa violação seja revista", disse.

No ESTADÃO: 

Dilma aumenta vantagem, mas maioria quer mudança

A presidente Dilma Rousseff (PT) aumentou sua vantagem sobre seus potenciais adversários em 2014, segundo o Ibope. Se a eleição fosse hoje, ela venceria no primeiro turno. Mas a mesma pesquisa mostra que a maioria dos brasileiros espera que o próximo presidente promova mudanças – o que favorece a oposição.

No cenário em que concorre contra Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB), a presidente venceria por 43% a 14% do tucano e 7% do governador de Pernambuco, segundo pesquisa do Ibope feita na semana passada. Dilma teria o dobro dos votos somados dos adversários. A diferença cresceu de 17 para 22 pontos em um mês.

No cenário em que Marina Silva (PSB) aparece no lugar de Campos, a tendência é a mesma. A atual presidente também ampliou de 5 para 13 pontos a distância para esses rivais. Dilma venceria agora por 42% a 16% de Marina e 13% de Aécio.

Clique/toque no gráfico para interagir

A pesquisa mostra que, passado o alvoroço em torno da fusão da Rede de Marina com o PSB de Campos, caíram as intenções de voto estimuladas para presidente em ambos. No caso de Marina, de 21% para 16%. E no de Campos, de 10% para 7%. Em ambos os cenários, Dilma foi a principal beneficiária dessa perda dos rivais. Mas é cedo para a presidente comemorar.

O Ibope perguntou aos eleitores com qual de quatro frases sobre o futuro presidente eles mais concordavam. A maioria optou por frases que indicam um desejo maior de mudança do que de continuidade: 38% responderam que gostariam que o próximo presidente “mantivesse só alguns programas mas mudasse muita coisa”; outros 24%, que “mudasse totalmente o governo do país”.

Apenas 23% disseram preferir que o novo presidente “fizesse poucas mudanças e desse continuidade para muita coisa”. E 12% prefeririam que ele “desse total continuidade ao governo atual”. Ou seja: 62% sinalizaram com preferência pela mudança, contra 35% que manifestaram desejo de continuidade de tudo como está.

A despeito disso, a avaliação de Dilma segue majoritariamente positiva. A proporção dos que acham o governo ótimo ou bom permanece estável: foi de 38% para 39%. A taxa dos que acham o governo ruim ou péssimo oscilou de 26% para 24%. O regular foi de 35% para 36%.

A taxa de aprovação também manteve-se no mesmo patamar: foi de 53% para 55% entre outubro e novembro. E a taxa dos que confiam em Dilma foi de 49% para 51%.

A pesquisa Ibope em parceria com o Estadão e organizações Globo foi feita entre os dias 7 e 11 de novembro, em 142 municípios de todas as regiões do Brasil. Sua margem de erro máxima é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos, num intervalo de confiança de 95%.

Tags:
Fonte:
Veja.com.br + Folha + Estadão

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário