Bloomberg: União Europeia quer aumentar sua produção de alimentos até 2023

Publicado em 14/01/2014 15:39 391 exibições
Os países do bloco pretendem atender a crescente demanda por exportação e produção de biocombustíveis

A produção da União Europeia (UE) de diversos produtos alimentícios, que vão do trigo até a carne de frango e o queijo, deve registrar um aumento significativo até 2023, para atender a demanda de exportação e da produção de biocombustíveis a partir de grãos. A informação partiu de uma comissão do próprio bloco, constituído por 28 países. 

A produção nacional de grãos deve chegar a 316,1 milhões de toneladas em 2023. Em 2013, a produção foi de 304,3 milhões de toneladas. Já a produção de carne deve aumentar de 43,7 milhões de toneladas para 45,5 milhões de toneladas, no mesmo período, segundo o relatório divulgado pela União Europeia. 

As indústrias europeias de grãos, carne e laticínios devem se beneficiar da demanda global. Atualmente, a UE produz 20% do trigo e da carne suína mundial e responde por 30% das exportações globais de queijo, segundo a FAO – Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação. 

“Os preços das commodities agrícolas devem se manter firme a médio prazo, com o suporte de fatores como o crescimento da demanda global por alimentos, o desenvolvimento do setor de biocombustíveis e um baixo crescimento da produtividade”, informou o relatório da comissão europeia. 

A área de produção dos países do bloco deve se manter estável, em 57,8 milhões de hectares, cmas deve registrar um aumento da área para trigo soft, milho e colza, em detrimento da cevada e do trigo durum. O plantio de trigo soft deve subir para 24 milhões de hectares até 2023, saindo de 23,3 milhões de hectares em 2013.   

O consumo de grãos deve aumentar para 297,9 milhões de toneladas em uma década, saindo de 279,8 milhões de toneladas em 2013. Um dos principais motivos do aumento é a previsão de dobrar o uso de cereais na produção de biocombustíveis – de 10,1 milhões de toneladas para 20,6 milhões de toneladas. As exportações de grãos da UE também devem aumentar de 27,4 milhões de toneladas para 31,1 milhões / tons.  

Aumento de produção
Os produtores da União Europeia devem colher 137,9 milhões de toneladas de trigo soft em 2023, saindo de 136 milhões / tons em 2013, com as exportações subindo de 18 mi/t para 19,9 mi/t. 

A produção de milho deve crescer de 64,5 mi/t para 79,3 mi/t no mesmo período. O relatório indica ainda um aumento na produção de colza, de 20,5 mi/t para 23,4 mi/t. “A produção de milho, em particular, deve continuar aumentando, devido a seu uso na produção de ração e para a indústria de etanol”, informou o relatório da comissão. 

A produção de etanol deve aumentar de 3,4 milhões de toneladas para 6,1 mi/t, enquanto a produção de biodiesel deve aumentar de 7,9 mi/t para 12,2 mi/t. 

Já para a produção de carne bovina, é prevista uma pequena redução, de 7,72 milhões de toneladas para 7,62 mi/t. Para a carne suína, deve haver um aumento de 22,3 milhões para 23,4 mi/t, assim como para a carne de frango, que deve ter sua produção levemente aumentada de 12,8 milhões de toneladas para 13,6 mi/t, no mesmo período. 

As exportações de carne suína do bloco devem aumentar de 2,11 milhões de toneladas para 2,29 mi/t até 2023, enquanto as exportações de carne de frango devem alcançar 1,45 milhões de toneladas, saindo de 1,34 mi/t em 2013.

Países com maior demanda
A Rússia e a China devem continuar sendo os principais destinos das exportações de carne suína europeia, com previsão de maior aumento da demanda chinesa. Já para a carne de frango, um aumento de demanda deve vir de países do Oriente Médio, principalmente da Arábia Saudita, mas a China também deve aumentar suas importações do produto, de acordo com o relatório. 

A produção de leite de vaca deve registrar um aumento considerável, de 150,4 milhões de toneladas para 157,3 mi/t. A maior parte do aumento será absorvida pela indústria de queijo. A produção de queijo deve aumentar de 9,67 milhões de toneladas para 10,7 mi/t, entre 2013 e 2023. As exportações de queijo, no período, devem aumentar de 806 mil toneladas para 1,02 milhões de toneladas.  

Informações: Bloomberg

Tradução: Fernanda Bellei

Tags:
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário