Produtor brasileiro, considere-se culpado..., por GLAUBER SILVEIRA, da Aprosoja Brasil

Publicado em 12/03/2014 06:51 e atualizado em 16/03/2014 10:47 3271 exibições

 Apesar de a soja ser a principal proteína vegetal do planeta e ser a principal cultura no Brasil (ocupando apenas 3,5% da área do território do país), para algumas entidades internacionais isso não importa:  se é soja brasileira, ela é culpada.!!!.. Digo isso porque mais uma vez vemos um “estudo” de uma ONG, agora da WWF, de título “Crescimento da Soja: Impactos e soluções”. É claro que o relatório tem pontos de mais radicalismo  do que de contribuições práticas. Um exemplo disto começa por um dos temas do estudo: “os passos em direção à soja responsável”, como se a soja brasileira fosse irresponsável.

Os produtores brasileiros são cobrados a participar e aderir a RTRS (Mesa redonda da soja responsável), da qual a Aprosoja participou, mas se viu obrigada a se retirar, pois o acordado é que os quesitos da dita soja “responsável” seriam feitos por um grupo técnico. Mas intransigentemente e de forma antidemocrática, esta mesma ONG, a WWF, levou a votação pela diretoria, exigências radicais como o desmatamento zero, que nós não podíamos aceitar. Neste ponto a lei brasileira não vale? Afinal permite desmatamento de um percentual da propriedade, o que é justo aos países em desenvolvimento, já que os ditos desenvolvidos não têm mais o que desmatar.

Em virtude deste radicalismo da própria WWF, a Aprosoja se retirou, não podia concordar com a existência de regras punitivas impostas apenas aos produtores brasileiros. Somos penalizados e as ONGs justificam que isto é devido as nossas leis. Estranho que para este caso a lei brasileira vale, no item desmatamento não. E além do mais, as leis ambientais brasileiras foram elaboradas por ONGs europeias, para atender o interesse deles que já desmataram todo o seu país, não aceitamos, o que nós concordamos são com regras que sejam mundiais.

A Aprosoja não se retirou meramente, fez mais, algo que realmente contribui com o meio ambiente, lançou em parceria com a Abiove o programa Soja Plus, voltado para a gestão, economia social e ambiental da soja brasileira, programa este que tem feito uma verdadeira revolução no campo. Primeiro porque orienta, dá a oportunidade a todos se adequarem, além de valorizar o que o produtor brasileiro faz de certo como coleta de embalagens de defensivos, plantio direto, manejo integrado de pragas, reserva legal, APP (área de preservação permanente) e etc. E o principal, o Soja Plus é incluente e não excludente.

Vejam a discrepância do RTRS, se um produtor de soja tem 30% de reserva florestal em sua propriedade e a lei brasileira diz que a reserva deve ser 35% a soja deste produtor é irresponsável, mas a soja de um produtor na Argentina que planta em 100% de sua área é responsável, pois a lei permite. Por isso discordamos deste termo “responsabilidade”, afinal em se tratando de meio ambiente a regra deve ser universal, ou seja, a reserva florestal deve ser mundial. Mas isso eles não aceitam, quero ver reflorestarem pelo menos 20% da Europa ou 80%, já que era floresta.

Achei o estudo sofrível, com um discurso ultrapassado, sugerindo o que já se faz e com pouca contribuição prática. Vejam com relação ao desmatamento da Amazônia, já está mais que provado que a soja brasileira não ocupa a Amazônia. O estudo diz que a soja ameaça o cerrado, como pode ameaçar se a legislação brasileira preserva 35% do cerrado, além dos parques e reservas indígenas que são muitas. A lei ambiental brasileira ainda assegura 80% de proteção para floresta. O Brasil é o país que mais preserva tendo 27% de proteção em parques e reservas indígenas, 32% de reserva legal, 17% em APP isto equivale a 71% do país preservado, e mesmo assim em qualquer relatório de ONGs o Brasil é citado como vilão e não como exemplo, como deveria.

Em seu estudo citam que o cultivo da soja ocupa mais do que 7% do cerrado, como se isto fosse algo ruim, a soja transformou um dos solos mais pobres do mundo em prosperidade e ainda assim temos 60% do cerrado totalmente preservado. Em qual outro ecossistema se produz tanta riqueza e se preserva tanto como no cerrado brasileiro?

O estudo diz que a soja diminui empregos a cada ano, um contrassenso, afinal as legislações brasileiras e mundiais obrigam a mecanização do campo e claro reduz empregos. Vejam o caso da cana-de-açúcar que é obrigada a se mecanizar, e neste caso, uma máquina substitui dezenas de trabalhadores o que é natural. Fica claro que as ONGs parecem não saber o que querem e, além disso, o discurso é antagônico com a prática.

Como podemos ver, o que chamam de estudo traz na verdade um conteúdo pejorativo e uma constatação da ordem mundial sobre a consequência do capitalismo que naturalmente leva a busca por uma produção em escala. O estudo reflete a realidade das legislações cada vez mais populistas e deixa a desejar em termos de contribuições práticas e de acordo com a realidade mundial. Mais um estudo para justificar a arrecadação da ONG que de trabalho orientativo e construtivo para melhorar a produção agrícola mundial pouco tem feito, além da costumeira retórica.

Gostaria de ver um estudo desta ou outra ONG que apontasse o impacto da aplicação do Novo Código Florestal Brasileiro em todos os países do mundo, gostaria de ver como a China que ocupa com agricultura 58% do seu território que não é pequeno iria implantá-lo, os EUA a Europa, quero ver a Holanda, a Dinamarca se adequarem a legislação brasileira. Lanço o desafio a qualquer ONG fazer nosso Código Florestal ser mundial. Aqui quem não está adequado está consciente e está buscando se adequar e tem como fazer. Nestes países isto é possível? ou só os certos continuarão a ser condenados?

Tags:
Fonte:
aprosoja BR

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

19 comentários

  • Adoniran Antunes de Oliveira Campo Mourão - PR

    Alguns companheiros que postam comentarios nesta trincheira,nao sei donde tiraram que fiz comentarios contra o Glauber e seu artigo.Nao sei donde viram isso.Pelo amor de Deus, sou um admirador da pessoa Glauber Silveira, e do trabalho que ele desempenhou para solidificar a unica associaçao de produtores agricolas que funciona neste país, mormente contra os desmandos deste governo ptralha que aí está.Ele,Glauber teve um poder de sincretismo extraordinário conseguindo direcionar a Aprosoja na defesa daqueles que efetivamente fazem ainda com que o Brasil dê algum lume de esperança,os agricultores, neste tunel de trevas que estas excrescencias gilberto carvalho, cardoso,lula,dilma, funai,bolsa familia,minha casa minha morte etc. meteram o país Brasilis.Entao de uma vez por todas, nao me acusem de ser contra a agricultura,logo eu agricultor desde 1962, o primeiro a plantar soja no estado do Paraná, quando tal oleaginosa era chamada de feijao de porco.Sou visceralmente contra os indios que estao sendo massa de manobra da funai e ministério da injustiça,contra o desgoverno Ptralha,contra os agora quilombolas,outra praga que estao criando para atomentar quem produz,contra o MST,cujos diretores tinham que ser executados em cadeira elétrica(manga de vagabundos que sao).E,em outubro votar, na esperança de que todos os colegas deste mister divino,que é produzir alimentos,façam também,contra este governo corrupto,safado,cooptador(já levaram até a Katia Abreu) para que nunca mais tenhamos que passar tantos dissabores em nossa vida.VIVA A AGRICULTURA BRASILEIRA,VIVA A APROSOJA,VIVA O GLAUBER,O JOAO BATISTA. E VAMOS EM FRENTE.

    0
  • HAROLDO FAGANELLO Dourados - MS

    Caro Glauber Silveira, continue na sua luta com essa mesma postura que tem demonstrado para nós colegas produtores! As críticas por mais dolorosas e infundadas é melhor do que o silêncio. Tenho certeza que vc estaria mais insatisfeito se não tivesse recebido nenhum comentário sobre sua mensagem postada nesse espaço. O silêncio, nesse caso, significaria insignificância ou temor. Como houve muitas manifestações é sinal que vc está no caminho certo e melhor, democrático. Continuemos!!! Avante soldado!!!

    0
  • ARLINDO ALBRECHT Campo Alegre de Goiás - GO

    Sr. Adoniran Antunes de Oliveira,pelo seu currículo da pra ver que entende das boas práticas da agricultura,mas na questão da Funai não esta bem informado,volto a recomendar o alerta que Sr.Otávio Behling fez em 26/11/2013

    0
  • Glauber Silveira Campos de Julio - MT

    Caros entendo a indignação de muito dos senhores com nossas lideranças e as que cabem a mim sempre busco refletir, gostaria claro de poder ser mais eficiente em minhas atuações como presidente da Aprosoja, presidência esta que deixo agora em maio, mas tentei fazer o que minha capacidade permitiu, tenham a certeza que carrego sempre comigo o peso de talvez ter feito melhor.

    Mas neste tema ambiental trabalhamos muito, mesmo ele não estando como gostariamos que estivesse, este relatório a que me refiro no artigo foi divulgado pela WWF e em nenhum momento ela nos chamou para conversar, primeiro tambem porque não adianta conversar com este tipo de ONG.

    O que eu fiz foi pelo menos rebater o estudo deles. eu sempre fui critico as ONGs e no codigo ambiental travamos muitas batalhas e garanto muitas virão pela frente.

    Entendo que os senhores devem ficar ligados no site da Aprosoja e aqui neste site, pois temos ainda que fazer muitos enfrentamentos sobre questões indigenas e ambientais.

    Agora a aqueles mais críticos e que acham que sou incompetente ou pelego que se apresentem ao trabalho pois tem muito, e na Aprosoja qualquer diretor não recebenenhum centavo para representar, agora nenhuma batalha se vence com generais, precisa de soldados, e se temos lideranças ruins é culpa nossa.

    Respeito as criticas, acho que são importantes, posso afirmar que leio todas as postagens que se refere a mim neste site ou em outro e gostaria sim de receber sugestões, tenho certeza que talvez eu mesmo tivesse sido mais eficiente se tivesse recebido sugestões de muito dos senhores, sei que devem ter muito que contribuir e eu estou aberto a receber toda contribuição enquanto eu estiver buscando representar os sojicultores.

    Podem ter a certeza que apartir de hoje irei estar enviando muita informação de audiencias publicas, ou embates que teremos e que serão muitos para que possam vir a participar e nos ajudar, afinal temos por ai indios, ambiental, trabalhista etc.

    meu telefone é 065 9972 7544 estou sempre pronto a ouvir, mudar e tentar fazer melhor.

    0
  • Adoniran Antunes de Oliveira Campo Mourão - PR

    E outra coisa sr. Almir de Oliveira, tenho terras no Paraná, que sao uma pequena propriedade, cerca de 100 has.Como tenho terras aqui no Paraguay,adquiridas ha mais de 36 anos.Para a bugrada que queira invadi-las alerto: a constituiçao federal me autoriza repelir qualquer invasao de propriedade com a força coercitiva que julgues necessária para tal mister.Ou sejam balas que nao sao da kids e tampouco da nestlé.

    0
  • Adoniran Antunes de Oliveira Campo Mourão - PR

    Almir de Oliveira, será que voce entendeu o espírito de meu comentário?.Creio que voce está muito novo no seguimento do programa do Joao Batista, eu já fazem muitos anos que o sigo, desde antes quando ele trabalhava para o canal do boi ou terra viva na bandeirantes,nao lembro bem.Foi um comentário jocoso que fiz sobre todos os desmandos praticados por estas Ongs corruptas, e além disso o ditado sobre santiago do boqueirao tanto em sc como no rs é utilizado ha muito tempo.Nao comentava já ha algum tempo, pelas inumeras atividades que venho desenvolvendo na conservaçao de solos e plantio direto na pequena propriedade no Paraguay,exemplo de como se faz bem as coisas com os pequenos já que aqui recuperamos mais de 150 000 has de terras depauperadas de pequenos produtores, com um plano que desenvolvemos com o Ministério da Agricultura local, hoje exemplo mundial donde vem pessoas e tecnicos do mundo todo, notadamente da Africa do Sul,Tanzania,Kenya,Nicarágua,Cuba, Mexico,Guatemala,Colombia para apreender e executar nosso trabalho em seus paises, recuperando a fertilidade de seus solos, com adubaçao verde, como mucuna,feijao guandú,crotalaria,nabo forrageiro etc.É um programa vencedor e se seguires no facebook Antunes Agropastoril verás que nao estamos mentindo.Agora, se desejas polemizar comigo companheiro,escolha a cancha.E de há muito venho batalhando sim, com a unica trincheira que nos resta, que é comentar principalmente aqui neste meio, contra a funai, seus desmandos, provocados pela vontade daqueles que estao a quebrar o país Brasil, ou seja a ptralhada comandada por Lula,Dilma,'zés dirceus e demais camaradas.

    0
  • Almir José Rebelo de Oliveira Tupanciretã - RS

    Excelente Glauber Silveira! Quem não vai à Brasília ver o poder das ONGs junto aos Poderes Executivo, Legislativo, Judiciário e Mídia, não tem noção do que está acontecendo.As ONGs tem mais poder político do que a Bancada Ruralista! Para um certo Adoniram Oliveira, informo que foi um Oliveira com muito orgulho de Santiago do Boqueirão que peitou as ONGs em Brasília e fez recuarem, sabia? pergunto: Por que você não peita as ONGs que estão mandando a Funai infernizar a vida dos produtores rurais inclusive do Paraná?

    0
  • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

    Estranho. A munição está sendo gasta no "alvo ONG". Continuamos com olhares estrábicos. No inicio do primeiro governo do Demiurgo (2.003), estou usando a alcunha, pois ela começa com "DÊ" e, como somos a pátria dos "DÊ" (Dilma, Dirceu, Delúbio) fica mais claro a casta que ele pertence, mas voltemos às ONGs. Quem se lembra sobre a CPI das ONGs?

    Foi uma nova maneira de "desvios" de verbas públicas e, o que aconteceu? Nada!

    Como nada acontece com a CNA, que tem usado o jugo do governo federal, a chamada contribuição sindical, que todos os súditos rurais recolhem para os poderosos locupletarem-se.

    Desculpem-me, mas o "alvo" não são as ONGs, somos nós que emburrecemos com o tratamento dado à nossa classe de brasileiros.

    CHEGA DE MANIPULAÇÃO! ...." E VAMOS EM FRENTE !!!"...

    0
  • carlo meloni sao paulo - SP

    ESTOU SUPERFELIZ PELO FATO DO BRASIL ESTAR INCOMODANDO E PREOCUPANDO OS WWF DA VIDA.

    ESTES F.DA..P... VAO COMER MUITA POEIRA ,MISTURADA COM INVEJA E RAIVA .JA' ESTAO SOFRENDO ESPIRITUALMENTE E QUE DEUS OS CASTIGUE PELA MALANDRAGEM QUE ESTAO MONTANDO.

    0
  • Adoniran Antunes de Oliveira Campo Mourão - PR

    E a Katia Abreu heim? Cooptada que foi pela dilma.Que qui é isso cumadre, custou mas mostrou seu caráter Hein?Sao estas coisas e fatos que vao te dando nojo da naçao brasileira.

    0
  • Adoniran Antunes de Oliveira Campo Mourão - PR

    Eu ia mandar esta e outras ongs "prá puta que os pariu"mas aí alguém poderia chamar-me de mal educado,entao mandarei-os pro"quinto distrito de santiago do boqueirao, quatro cabos de machado 'pra la donde Judas perdeu as botas".E tenho dito.

    0
  • Marcio Antonio Cezarotto Santarém - PA

    Isto explica tudo. http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,fazendas-la-ambientalistas-aqui,583115,0.htm

    0
  • Marcio Antonio Cezarotto Santarém - PA

    Vergonha é pouco. Nem invocando o artigo 5° Da CF " Ninguém é obrigado a fazer nada que não seja previsto em lei". Estas ONGs estão acima da Constituição Federal? Por que a Aprosoja não contesta judicialmente estes pilantras? A Moratório da soja era ilegal e engoliram. Acho que estamos sem lideranças de verdade.

    0
  • Emerson Cassemiro lima Jaguariúna - SP

    É simplesmente uma vergonha, nossas lideranças estão cada vez mais medíocre, e aceitam tudo o que as ONGs e ambientalistas dizem, e o pior, criam leis para prejudicar os produtores brasileiros, será que todos os nossos importadores deixariam de comprar nossos produtos? caso não existisse o tal código florestal? será? nossos lideres não sabem negociar, são covardes.

    0
  • Sebastião Ferreira Santos Fátima do Sul - MS

    Essa ONG WWF é mais um órgão ligado ao PT comunista irresponsável da Dilma e do Lula, que quer acabar com o Brasil!!!!!!!!!!!

    E ao mesmo tempo ver o povo na miseria, comendo a cesta "MISÉRIA", e rastejando aos pés desses comunistas bandidos como Fidel e Raul Castro fazem em CUBA!!!!!!!!!!

    0
  • Vilson Ambrozi Chapadinha - MA

    Agora as ong's,aqui no Maranhão,estão atacando na construção do Zoneamento econômico ecolólico.Hontem,aqí em Chapadinha fizeram uma audiência pública, tota dirigida por pessoas que querem se dar bem sem trabalhar e incomodando os que trabalham.Nossa associação APROSOJA MN esteve presente e só teve o direito de esperniar por poucos minutos e ouvir que o projeto macro das diretrizes do plano não tem mais tempo para mudar,e para nós restou acomo diretriz a recomendação q2ue nossa região será priorizada para conservação da biodiversidade.Sobra para nós agora mobilizar-mos para proteger nossas áres de produção,somente nosso grupo,porque para os lideres politicos regionais o importante é ampliar os programas BOLSAS para todos.Vale salientar que nossa federação FAEMA estava presente e ao menos ela se mostra preocupada em nos ajudar a defender nossos interesses.

    0
  • Adriana Paes Rondonopolis - MT

    As nossas liderancas deveriam fazer o dever de casa antes de participarem de eventos como esse....ou vai me dizer que nunca receberam (tinham conhecimento) antecipadamente a pauta do evento da WWW??? Conversa para boi dormir......

    0
  • João Biermann Tapera - RS

    Basta pararem de consumir soja, milho e tudo mais que considerem irresponsável que os agricultores param de plantar, se não tem pra quem vender ninguém irá produzir.

    0