Greve: Estradas federais têm 59 bloqueios; polícia aplica 26 multas, faz uma prisão

Publicado em 27/02/2015 07:47 e atualizado em 27/02/2015 12:56
2848 exibições

LOGO REUTERS

SÃO PAULO (Reuters) - As estradas federais brasileiras tinham 59 interdições nesta manhã de sexta-feira devido aos bloqueios de caminhoneiros, um número menor do que o registrado na véspera, quando governo anunciou que começaria a multar manifestantes.

A Polícia Rodoviária Federal registrava bloqueios em cinco Estados nesta manhã (Mato Grosso, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Ceará), ante 88 interdições na noite anterior em seis Estados.

Os caminhoneiros que continuarem bloqueando rodovias do país poderão ter de pagar multas judiciais de 5 mil a 10 mil reais por hora, disse na quinta-feira o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.

Segundo boletim desta manhã da Polícia Rodoviária Federal, 25 autuações foram realizadas no Paraná e uma no Rio Grande do Sul. Em Mato Grosso do Sul, policiais prenderam uma pessoa --o relatório não detalha as circunstâncias da prisão.

Os bloqueios, que entraram no décimo dia nesta sexta-feira, estão prejudicando o transporte de mercadorias, afetando principalmente as indústrias de alimentos.

A BRF, uma das principais empresas de alimentos do mundo e maior exportadora de carne de aves do país, está tendo dificuldades para cumprir alguns embarques programados para o exterior, devido a protestos de caminhoneiros que bloqueiam as estradas neste mês, disse o presidente do Conselho de Administração da companhia, Abilio Diniz.

No meio da semana, a companhia informou que outras unidades produtivas, especialmente na região Sul, foram afetadas pelos bloqueios das rodovias brasileiras. Por causa disso, em muitas delas a operação passou a ser parcial.

Outra companhia do setor de carnes, a JBS, informou nesta semana a suspensão das atividades em oito unidades.

O protesto dos caminhoneiros, que buscam redução do custo com diesel, além de melhores condições de frete, também afeta outras empresas e setores, como o abastecimento de combustíveis.

(Por Roberto Samora)

SAIBA MAIS:

>> Na FOLHA: Governo endurece o discurso, mas caminhoneiros mantêm greve

Greve dos caminhoneiros continua em pelo menos seis estados nesta 6ª feira

Nesta manhã de sexta-feira (27), os protestos dos caminhoneiros continuam em pelo menos seis estados, entre eles  Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Mato Grosso, segundo informações do site G1. Há bloqueios de estradas em cinco deles e em alguns pontos há ainda a pena de multa para os motoristas que seguirem se manifestando nas rodovias com seus veículos. 

Os caminhoneiros exigem do governo um valor de frete mínimo e uma baixa de, ao menos, R$ 0,50 por litro no preço do óleo diesel. E esses dois assuntos ainda não têm uma sinalização do governo para entrar na pauta das negociações. 

Segundo apuração do jornal Folha de S. Paulo, com especialistas e integrantes do setor de transportes, muitas medidas propostas pelas autoridades políticas são difíceis de serem implementadas e insuficientes para atender a classe. 

"O mercado de frete rodoviário é muito próximo à concorrência perfeita. Será muito difícil estipular um valor mínimo", diz Thiago Péra, coordenador do grupo de pesquisa e extensão em logística agroindustrial da Esalq-USP à Folha.

Leia a matéria da Folha na íntegra:

>> Propostas para o fim da greve dos caminhoneiros são inviáveis, diz setor

Na tarde de ontem, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, anunciou uma medida do governo de dar à Polícia Rodoviária Federal o poder para multar os motoristas parados nas rodovias. Segundo noticiou a Veja, além de notificá-los pela infração de trânsito, a decisão tem um objetivo mais importante: identificar os líderes do movimento grevista e, assim, permitir a aplicação de multas por desobediência às ordens judiciais que exigem a desobstrução das vias. Nesse caso, o valor a ser pago varia de 5.000 a 10.000 reais por hora.

Leia a matéria da Veja na íntegra: 

>> Governo decide multar e aciona PF contra caminhoneiros

>> No G1: Cardozo manda PF abrir inquéritos para apurar abusos em rodovias

Rio Grande do Sul

Dois dias após determinação para ser liberada, BR-101 segue com bloqueio em Três Cachoeiras

Depois de passar a noite em vigília no protesto que bloqueia a BR-101 em Três Cachoeiras, no Litoral Norte, mais de cem caminhoneiros seguem na rodovia na manhã desta sexta-feira. Com cartazes de apoio de associações do município de 11 mil habitantes, o grupo impede apenas a passagem de caminhões em ambos os sentidos da via.

O trânsito de outros veículos está liberado. Durante a tarde de quinta-feira, a categoria chegou a bloquear totalmente a passagem de veículos no sentido Santa Catarina-Rio Grande do Sul, o que causou congestionamento de mais de um quilômetro. À noite e na manhã desta sexta-feira, apenas a passagem de caminhões era impedida. No entanto, os veículos carregados com cargas hospitalares tiveram acesso liberado.

Os caminhoneiros que permanecem no protesto afirmam que não vão liberar a rodovia até que o governo apresente uma proposta de redução no preço do óleo diesel, maior gargalo da profissão atualmente.

Confira a notícia na íntegra no site do Zero Hora

PRF e Força Nacional liberam trecho da BR-101 no Rio Grande do Sul

Por volta das 7h40min desta sexta-feira, o trecho da BR-101 em Três Cachoeiras, ocupado em protesto de caminhoneiros, começou a ser desobstruído. Participam da operação no litoral norte gaúcho 20 viaturas da Polícia Rodoviária Federal (PRF), integrantes da Força de Choque da corporação e um helicóptero. Também havia 30 homens da Força Nacional de Segurança Pública, além de apoio do Corpo de Bombeiros.

Pouco antes das 11h, PRF e Força Nacional deixaram a BR-101, e o acesso a Três Cachoeiras pelo km 25 foi liberado. Os manifestantes também saíram do trecho, mas alguns prometem voltar a bloquear o local.

Leia a notícia na íntegra no site do Zero Hora

Ceará

Caminhoneiros seguem paralisados na BR-116 em Tabuleiro do Norte no CE

Cerca de 45 caminhões seguem estacionados no quilômetro 213 da BR-116, no município de Tabuleiro do Norte, interior do Ceará. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF-CE), o protesto é pacífico. Caminhoneiros fecham uma via da BR-116 e só permitem a passagem de veículos pequenos, ônibus, ambulâncias e cargas vivas.

Estradas de terra e terrenos próximos estão sendo usados como pátio de estacionamento para alguns caminhoneiros. Mas a maior parte está enfileirada em uma das faixas da via. A PRF-CE pede que os motoristas evitem passar pelo local, usando as CE-40 e CE-35 como rotas alternativas.

Leia a notícia na íntegra no site do G1 CE

Paraná 

Protestos de caminhoneiros nas estradas do PR chegam ao 15º dia

Os protestos de caminhoneiros nas rodovias do Paraná completam 15 dias nesta sexta-feira (27). Desde o dia 13, foram vários pontos de bloqueio em rodovias estaduais e federais do estado. Na maioria dos trechos fechados, apenas os veículos de carga, com exceção dos com cargas vivas, são impedidos de seguir viagem. A categoria é contra os aumentos constantes do preço do litro do óleo diesel e o valor pago pelos fretes, que são considerados baixos.

Nas rodovias federais, os caminhoneiros descumprirem uma determinação da Justiça que impõe multa entre R$ 1 mil a R$ 50 mil por hora de bloqueio em rodovias de Curitiba, de Foz do Iguaçu, Toledo, Guarapuava e Londrina. Na quinta-feira (26), o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, determinou às superintendências da Polícia Federal (PF) a abertura de inquéritos para apurar se ocorreram abusos nos protestos de caminhoneiros, que também são realizados em outros estados brasileiros.

Veja a notícia na íntegra no site do G1 PR

Comércio de Nova Esperança fecha as portas em apoio às manifestações

Pouco mais de 50 empresas de Nova Esperança, no noroeste do Paraná, não abriram as portas nesta sexta-feira (27) em apoio à greve dos professores e a manifestação dos caminhoneiros. De acordo com a Associação Comercial de Nova Esperança, as lojas abrirão apenas no período da tarde.

As lojas fechadas estão localizadas na Avenida 14 de dezembro, principal avenida da cidade. A Polícia Militar (PM) não tinha estimativa de quantas pessoas participavam da manifestação até as 11h30. Já a associação comercial informou que aproximadamente 40 caminhões e em torno de 30 professores participaram do protesto.

Confira a notícia na íntegra no site do G1 PR

Cerca de 1,5 mil frangos morrem por falta de ração em granja no Paraná

Cerca de 1,5 mil frangos morreram de fome em uma granja de Jataizinho, no norte do Paraná, devido aos protestos dos caminhoneiros. Segundo o proprietário Carlos Valini, a ração acabou na segunda-feira (23), e por conta dos bloqueios nas estradas da região, o caminhão carregado com ração não conseguiu chegar a propriedade. Os frangos morreram pois não havia alimento.

A granja tinha 64 mil frangos já prontos para o abate. Destes, 39 mil conseguiram ser retirados e encaminhados para frigoríficos na noite de quinta-feira (26).  O restante deve ser levado para o abate até domingo (1º).

O problema só foi resolvido no final da manhã desta sexta-feira (27), quando o proprietário recebeu uma carga com 15 toneladas de ração. Como algumas rodovias da região foram liberadas entre quinta e sexta-feira, o veículo conseguiu chegar.

Confira a notícia na íntegra no site do G1 PR

Bahia

Caminhoneiros bloqueiam trecho da BR-242 no oeste da Bahia, diz PRF

Os caminhoneiros interditaram um trecho da BR-242 (km-890), na saída para Tocantins, em Luís Eduardo Magalhães, região oeste da Bahia, por volta das 8h desta sexta-feira (27). As informações são da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Barreiras. A Polícia Militar de Luís Eduardo Magalhães também confirmou o fechamento da pista. Segundo a PRF, os manifestantes colocaram faixas, pedras e madeira para bloquear a rodovia. Ainda não há informações sobre congestionamento na região.

Em outro trecho da BR-242 (km-870), na saída para Barreiras, a mobilização dos caminhoneiros continua, mas não há bloqueio de pista. Já na BR-020 (km-200), na saída para Brasília, a PRF informou que a situação foi normalizada desde as 5h desta sexta-feira e os caminhões seguem viagem normalmente.

A PRF relatou que houve um acordo com os motoristas que estavam parados em um parque de exposições da região da BR-242 (km-870) para que eles deixassem a cidade e seguissem viagem. Porém, por volta das 6h30, a PRF foi informada que os manifestantes voltaram a impedir a saída dos caminhões do local. "Os motoristas disseram que estão sendo coagidos pelos colegas", disse um agente da PRF ao G1. Ainda segundo a polícia, não há bloqueio da rodovia.

Confira a notícia na íntegra no site do G1 BA

São Paulo

Após reunião, caminhoneiros optam por adiar bloqueio na Raposo Tavares

O grupo de caminhoneiros que interditou a Rodovia Raposo Tavares(SP-270), no quilômetro 426, entre Assis (SP) e Palmital, nos dois últimos dias, decidiu não bloquear a via nesta sexta-feira (27), após reunião com a Polícia Rodoviária pela manhã.

Durante uma hora eles conversaram com o comando da Polícia Rodoviária na região discutindo datas e horários das manifestações. A preocupação da polícia é com a segurança na via. “A polícia quer garantir o direito de todos. O direito de manifestação e direito de ir e vir. Combinamos com eles que não haja bloqueio à noite ou se começar chuva, porque envolve risco as pessoas e a eles (caminhoneiros)”, explica o capitão da Polícia Rodoviária André Domingos Pereira.

O mesmo grupo já havia interditado parcialmente a Raposo Tavares na quarta-feira (25) e quinta-feira (26). A fila de caminhões chegou a seis quilômetros ontem. Segundo o caminhoneiro Mário Rorato, o grupo vai fechar a rodovia novamente no domingo, mas garante que apenas os caminhões ficarão no bloqueio.  “A nossa paralisação é caminhão. Carro, doentes e carga viva passam normal”, afirma.

Leia a notícia na íntegra no site do G1 Bauru e Marília

Tags:
Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário