Famato afirma conduzir eleição de diretoria com "total transparência"

Publicado em 28/11/2016 07:45
31 exibições

"O processo eleitoral do Sistema Famato está sendo conduzido com total transparência e respeito às normas vigentes". A posição é da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) diante a acusação por parte da Chapa 2 - "Renovação e Transparência", encabeçada pelo produtor Antônio Galvan, de que o atual presidente Rui Prado estaria realizando manobra e desrespeitando o regimento para beneficiar o grupo liderado pelo seu atual vice Normando Corral, que puxa a Chapa 1.

O setor produtivo de Mato Grosso escolhe nesta sexta-feira, 25 de novembro, a nova diretoria da Famato. A votação teve início às 8h e deve seguir até às 14h, quando os votos dos 89 Sindicatos Rurais serão contabilizados.

Leia a notícia na íntegra no site Olhar Direto e, a seguir, a nota da Famato:

“O processo eleitoral do Sistema Famato está sendo conduzido com total transparência e respeito às normas vigentes. A disponibilização prévia da lista de votante é bom exemplo disso, uma vez que permitiu aos candidatos conhecer com antecedência todas as entidades habilitadas ao voto.

O voto é um direito fundamental à democracia sindical. Não cabe à Famato cercear o direito dessas entidades sem lhes assegurar o contraditório e a ampla defesa na forma da lei. Eventuais irregularidades identificadas pelas chapas devem ser contestadas em momento próprio dentro do processo eleitoral, conforme prevê o estatuto.

A alegação prévia perante a imprensa de que sindicatos administrados por junta governativa não podem votar não procede. A legalidade de um sindicato tem sua premissa básica na sua regular constituição e funcionamento, e sob esse contexto há de ser ressaltado que os sindicatos referenciados possuem regular constituição e estão funcionando normalmente.

Destaque-se que o Conselho de Representantes da Famato não aplicou qualquer sanção a estes sindicatos para suspender ou limitar seus direitos, incluindo-se o voto. Soma-se a isso que nenhum dispositivo estatutário veda a participação de sindicatos que estejam sendo administrados por junta governativa.”

Tags:
Fonte:
Olhar Direto

0 comentário