Nota de Repúdio ANDAV – Enredo Escola de Samba Imperatriz Leopoldinense

Publicado em 11/01/2017 10:58
269 exibições

A Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos Agrícolas e Veterinários – ANDAV, após conhecimento sobre o enredo da Imperatriz Leopoldinense para o Carnaval 2017, repudia o tom adotado pela Escola de Samba ao criticar o agronegócio brasileiro.

O enredo tem como tema homenagear o Parque Nacional do Xingú, porém deprecia e desmoraliza o trabalho sério existente no agronegócio e nota-se o pouco conhecimento da Escola na forma que estão tratando sobre o setor que é um importante alicerce econômico do Brasil, o agronegócio.

Este que também é responsável por gerar 37% dos empregos no país, e por mais de 22% do PIB nacional, sendo o único a apresentar saldo positivo. Somente o mercado de distribuição de insumos agropecuários movimentou em 2015, cerca de R$ 34 bilhões, entre fertilizantes, defensivos e medicamentos veterinários.

A ANDAV reforça constantemente junto aos seus Associados o comprometimento em alertar, checar e seguir boas práticas no campo, com responsabilidade ambiental e social em todo seu processo produtivo, adotadas há muitos anos por todos dessa cadeia e indispensável para o crescimento da agropecuária brasileira. A ANDAV se une com outras entidades do setor para repudiar as informações sem fundamentos que consistem no enredo da Escola. 

Sobre a ANDAV

A ANDAV – Associação Nacional de Distribuidores de Insumos Agrícolas e Veterinários conta atualmente com mais de 1400 associados e foi criada em 18 de outubro de 1990 com a finalidade de potencializar a força dos distribuidores perante o mercado do agronegócio, com a profissionalização, estruturação e coesão do setor. Para tanto, a Associação intervém com a transmissão de informações técnicas de qualidade, respaldo jurídico, técnico, treinamento, produtos, suporte e outras ferramentas essenciais ao distribuidor moderno. Assim, a ANDAV fortalece a representatividade do setor no mercado brasileiro atual.

Tags:
Fonte: ANDAV

1 comentário

  • Ronaldo Rego Petrópolis - RJ

    Os que escrevem enredo são egressos de partidos comunistas cuja intenção é "conscientizar" o povo, como fazem nas novelas de TV. São manjados. Em 64 a maioria dos intelectuais do Partidão receberam ordens de se misturar com o povo. A escola escolhida foi a de Mangueira e um grande trabalho foi realizado por lá por artistas de esquerda que enchiam seus sábados de ensaios. Tudo misturado com muita bebida. Deu certo. Hoje apelam novamente quando estão sendo banidos do poder pelo povo. O MST odeia de morte o agronegócio e tem feito de tudo para desbaratar o trabalho no campo, jogando os índios contra os agricultores. Os serviços secretos militares sabem disso, mas nada fazem para prender esses agitadores infiltrados nas escolas de samba. Até quando?

    2