Ronaldo Caiado quer discutir o financiamento da Imperatriz Leopoldinense

Publicado em 12/01/2017 12:26 e atualizado em 15/01/2017 17:46
3760 exibições

O senador Ronaldo Caiado (GO) informou por meio de sua página na internet que pretende discutir o financiamento das escolas de samba do carnaval carioca. Caiado pretende descobrir se há e quem são os financiadores do enredo da Imperatriz Leopoldinense que faz críticas ao agro. O Senador informou que vai articular com os líderes do Senado a realização de uma sessão temática no plenário da Casa para investigar a Imperatriz Leopoldinense.

O parlamentar mostrou indignação com a letra do samba que denigre a imagem do setor com calúnias generalizadas sobre a atuação da classe rural brasileira, respeitada mundialmente pela eficiência e tecnologia aplicadas, além de ser responsável há vários anos pelo saldo da balança comercial do país. O parlamentar defende a apuração dos patrocinadores do samba-enredo difamatório.

“Assim que retornarem as atividades legislativas vou buscar a realização de sessão temática para discutirmos em plenário os motivos que levaram a Imperatriz Leopoldinense a autorizar um samba-enredo que denigre a imagem do agronegócio, único setor, que diante de uma crise devastadora, deverá ser superavitário. Há tantos graves problemas que o país passa, como a violência, o tráfico de drogas, as facções criminosas e uma escola de samba se ocupa em difamar o setor que deveria ser enaltecido e homenageado na Marquês de Sapucaí”, argumenta Caiado.

A partir do início do ano legislativo e após a eleição da mesa diretora dia 2 de fevereiro, o líder democrata vai propor a promoção da sessão temática para que o assunto entre na pauta antes do carnaval.

 

No Globo: Senador Ronaldo Caiado vai propor 'CPI' da Imperatriz Leopoldinense

POR ANCELMO GOIS

O senador Ronaldo Caiado vai propor, no Senado, uma sessão temática “para discutir, debater e descobrir os financiadores da Imperatriz Leopoldinense e os interesses em denegrir o agronegócio”.

Como se sabe, as principais entidades do campo estão enfurecidas com a querida escola de samba carioca, que no enredo “Xingu, o clamor que vem da floresta” critica o agronegócio.


Bicheiros no samba...

Veja a justificativa do líder do DEM: “Com tantos problemas no país, que sofre com traficantes, bicheiros e facções, causa perplexidade uma escola de samba atacar o agronegócio, orgulho do País, que é o único setor que gera tantos resultados positivos”.

Calma, gente.

 Veja o Blog do Ancelmo Gois 

 

Tags:
Fonte: Blog Código Florestal

5 comentários

  • Gilberto Cassol Tres Passos - RS

    No estado de falência financeira em que se encontram as Prefeituras, Estados e o Brasil, principalmente em se falando de Rio de Janeiro, eu acho um absurdo em se falar de dinheiro público para financiar Carnaval. Uma festa que deveria ser abolida do calendário brasileiro. Quem quiser fazer carnaval que faça com o seu dinheiro e sem ter que ser feriado nacional. Uma vergonha.

    3
    • Ernesto Pepalanthus Cristalina - GO

      E quanto de dinheiro público do SUS é gasto no tratamento de doentes com câncer, decorrência do uso excessivo de agrotóxicos? No MT encontraram até resíduos no leite materno. E na captação e tratamento de água para abastecimento urbano, cada vez mais caro por conta do assoreamento e contaminação dos rios? Esse custo tem sido público também, só não entra na conta do agronegócio que acredita gerar apenas riquezas.

      50
    • EDMILSON JOSE ZABOTT PALOTINA - PR

      Sr. Ernesto , acho que o sr. Redondamente errado , fala sem conhecimento de causa. Não conhece como é o sistema de cultivo das lavouras pelo Brasil . A evolução da Genética o manejo correto feita pelo agricultor .O Agricultor hoje é o que mais interesse tem na preservação , pois nós precisamos que haja água boa e com quantidade , pois a diversificação que hoje o Agro desenvolve (frango, suíno , peixe , leite ,sistema de irrigação ) todas estás atividades somente se manterão se o agricultor tiver água e a água só vai ter se nós cuidarmos e é isso que estamos fazendo ( matas ciliares , reservas legais , proteção de nascentes , destinação correta de embalagens de Agrotóxicos etc..) Aliás o Brasil hoje dá destino correto p estás embalagens acima de noventa e cinco por cento , enquanto a Alemanha e França devem apenas setenta e cinco p cento . O que o senhor tem que se preocupar é com a preservação do meio ambiente na área urbana , quanto aos gastos do SUS , o sr. Deve observar e se preocupar é com os gastos que são causados pelas drogas , álcool , acidentes , brigas , que a área urbana tem oferecido para o Brasil. Se o Sr. Tiver alguma dúvida do que estou falando , basta o sr. Acompanhar o Carnaval do Rio , Bahia e demais locais e avaliar ao final quem gera mais prejuízos p os cofres públicos. E também quem gera mais divisas(tributos) p o Brasil .Seja mais isento antes de criticar o Agro é seus heróis produtores .

      1
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Caro Ernesto, vejo pelos seus comentários que a sua realidade é aleatória. Agora quanto ao tratamento de água para abastecimento urbano que você citou e, analisando ao evento carnaval. A cidade do Rio de Janeiro é onde acontece a maior festa e por conseguinte há um fluxo de pessoas e de bebidas acima do normal, isto com certeza causa um aumento enorme no volume de líquidos na rede de esgoto, tanto é verdade que o cheiro de urina de humanos nos postes e quebradas nas vias públicas tornam-se insuportáveis. Porque você não usa, um pouco, da sua sapiência e lança um programa onde os usuários de mictórios clandestinos no carnaval, façam uso de um refil coletor que após o uso seria levado até as residencias dos mesmos para serem destinados corretamente? ... Está aí um palpite para um "ecologista urbano" !!!

      0
    • Fernando Engler Palotina - PR

      Sempre aparece essa falácia do leite materno contaminado com agrotóxicos, afinal, saiu na Globo (Plim, Plim) vira verdade absoluta e inquestionável... A matéria era bem clara, analisando o leite materno de Lucas do Rio Verde (MT) apareceram resíduos de 10 agrotóxicos... Primeiro estranhei a pesquisa ser apenas em Lucas do Rio Verde, porque não investigaram São Paulo ou Rio de Janeiro também, serviria de comparação pelo menos para ver se o campo é tão sujo assim como difamam... Depois sofri para encontrar os "agrotóxicos" do leite materno, parecia piada, se acharam algo vamos discutir e ver o que podemos fazer para melhorar, não é assim que sempre fazemos??? Pois bem, abaixo a relação do que encontraram, a porcentagem do leite "contaminado" e onde são utilizados:

      a) 100% DDE (derivado do DDT), 37% DELTAMETRINA e 13% DDT - utilizados no controle urbano de baratas e mosquitos (dengue e malária) - DDT já proibido há várias décadas por precaução por acumular nas cadeias alimentares e DELTAMETRINA é o Kotrine nosso de cada dia, que é usado em larga escala dentro das casas ou pelos fumacês e controle de mosquitos vetores, que não acumula nos organismos vivos, então, para estar presente, precisa estar sendo exposto constantemente...

      b) 44% Beta-endossulfan e 32% Alfa-endossulfan - derivados do ENDOSSULFAN, que foi proibido há alguns anos após várias décadas de uso restrito, por apresentar acumulo na cadeia alimentar, porém por precaução, pois não se provou nada contra ele, só sendo proibido por interesses comerciais depois que apareceram produtos substitutos (se bem que o pessoal da cafeicultura deve estar com saudade para o controle da broca)...

      c) 32% ALDRIN, 18% Alfa-HCH (derivado do LINDANO) e 6% LINDANO - tratamento de madeira (móveis domésticos) - produtos proibidos há várias décadas utilizado para evitar o ataque de cupim à madeira...

      d) 11% TRIFLURALINA - produto extremamente volátil e de uso em aplicação na modalidade de pré-plantio incorporado, o que não é usual em Lucas do Rio Verde, que faz plantio direto na maior parte de sua área de agricultura, o que faz com que as suspeitas recaiam sobre os hortifrutigranjeiros, que margeiam a cidade; o produto também não é acumulativo nos organismos o que exige exposição constante, mais uma vez fazendo recair as suspeitas aos hortifrutigranjeiros...

      Moral da história, o grosso do que apareceu apareceria na totalidade das cidades brasileiras, pois, na maioria, são produtos de uso urbano ou mesmo doméstico... Em nenhum momento apareceu GLIFOSATO, METAMIDOFÓS ou ATRAZINA no leite materno, que eram os produtos utilizados em larga escala na região de estudo em questão... E se fizer o estudo no mundo inteiro pode ter certeza que aparecerá coisa uit mais cabeluda... Essa é mais uma mentira anti-Brasil que dá certo que a mídia brasileira tanto gosta de difamar e caluniar...

      0
    • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

      Fernando, parabéns pelo teu comentário, excelente esclarecimento. Expôs perfeitamente a debilidade dos argumentos desses caluniadores.

      0
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Ah! O que os citadinos fazem com as embalagens vazias do K otrine. Será que eles fazem a tríplice lavagem ? Será que existem pontos de coletas desse material, para evitar a poluição do ambiente? Sim, porque são alguns milhares de frascos usados mensalmente nesses grandes centros? Qual é o órgão fiscalizador no meio urbano? Muitos supermercados têm suas gondolas cheias de SBP's e, uma parafernália de inseticidas "amigos" do meio ambiente....Alguém acredita nisso???

      2
    • Fernando Engler Palotina - PR

      Obrigado Sr. Rodrigo... E ótima colocação Sr. Rensi, posso complementar a sua??? E a embalagem do antibiótico vai para onde??? Já que dizem que os agrotóxicos causam intoxicações, vamos analisar os dados oficiais sobre as intoxicações: 46% medicamentos; 17% produtos domésticos de limpeza; 7% agrotóxicos (metade por tentativa de suicídio e a outra metade aplicadores que não utilizaram EPI, nenhum caso de alimento causando intoxicação); 3% raticidas; 3% pesticidas domésticos; 2% drogas ilícitas; 2% plantas ornamentais; etc... Olhe bem, toda a "monstruosidade" de produtos usados pelos agricultores causa o mesmo tanto de intoxicações do que os raticidas e pesticidas que estão dentro das casas das pessoas, e o agrotóxico que é o perigo!!! E se for para proibir algo por problema de intoxicação então vamos proibir aquele medicamento que fica na farmácia (fabricado pelas mesmas empresas dos agrotóxicos e muitas vezes com o mesmo ingrediente ativo)... Se querem proibir algo porque mata talvez fosse mais eficiente se tentassem proibissem os carros e as motos... É sempre a mesma ladainha sem fundamento técnico, mas com o foco do dano mirado no agronegócio, o único setor que estraga os planos dos comunistas no Brasil, por mais que tentem fazer dar errado a gente sempre dá um jeito...

      0
    • R L Guerrero Maringá - PR

      Sr. Fernando.

      Esse dados são preciosos!

      O senhor poderia citar a fonte? vou precisar deles em breve.

      1
    • Fernando Engler Palotina - PR

      Sr. Guerrero, desculpe a demora na resposta (colhendo)... Estes dados eu pesquisei alguns anos atrás na internet para montar uma palestra sobre o assunto... Na época verifiquei as fontes, mas acabei só utilizando os dados e a citação da fonte... Sobre os agrotóxicos no leite materno achei o link, é: http://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=5&cad=rja&uact=8&ved=0ahUKEwi0_IXKoNPRAhVJfZAKHVWTDrwQFgg2MAQ&url=http%3A%2F%2Fwww.ufmt.br%2Fppgsc%2Farquivos%2F857ae0a5ab2be9135cd279c8ad4d4e61.pdf&usg=AFQjCNH-mKOpSw9Y6ePnhKHHJermhTtnqQ&bvm=bv.144224172,d.Y2I (Andrade Palma, D.C., 2011)... Os dados da contaminação estão disponíveis aos montes por aí, utilizei os de Alves, 1997... Estes dados são publicados anualmente e apresentam grande variação, alguns juntam as intoxicações de raticidas, pesticidas domésticos e agrotóxicos, o que dificulta a avaliação... Alves, 1997 separou e por isso foi utilizado, mas não encontrei mais o link... Saudações e bom uso destes dados...

      0
  • Noraldino Nascimento Foz do Iguaçu - PR

    Estou orgulhoso da Imperatriz Leopoldinense. Já encomendei minha camisa, embora não more no Rio de janeiro, mas em Foz do Iguaçu. Estamos juntos, imperatriz. Papa esta!

    45
    • EDMILSON JOSE ZABOTT PALOTINA - PR

      Vai levar nota Zero em Tudo . Foz não depende em nada do Agro . Sorte sua . Você deve ir urgente p o Rui já é tomara que você não precise de um Hospital e que nenhum assaltante bata a sua carteira . Bom Carnaval e viva o Agronegócio .

      0
    • EDMILSON JOSE ZABOTT PALOTINA - PR

      Só corrigindo "Vá logo p o Rio ".

      0
    • Sebastião Ferreira Santos Fátima do Sul - MS

      E que o Sr. Noraldino, vá o mais rápido possivel, porque gente desse tipo no rio tem muito espaço. Pois não sou produtor rural, mas nós da cidade todos dependemos do agronegócio para sobreviver, seja onde for. Agora carnaval é muito bom para aumentar o consumo e comercialização de drogas e desordens em famílias. Será que o tipo de trabalho do Sr. Noraldino é favorecido pelo carnaval?

      0
  • CESAR AUGUSTO SCHMITT Maringá - PR

    Acho que estamos dando muita trela para essas pessoas. Ali se juntam pessoas que nada produzem, idiotas se dizendo ambientalistas, pseudos artistas se dizendo intelectuais, quando são analfabetos de pai e mãe e ainda enaltecendo a indiada, assassina, bandida e improdutiva. É caso de policia ou de psiquiatria.

    6
    • Agricultor Brasileiro Campo Grande - MS

      Discordo de você Cesar Schmitt.... Eles são analfabetos apenas da mãe... O pai eles não conhecem.... Não há como saber!!

      6
  • Deocleciano Pentello Goiânia - GO

    Sugiro também discutir o financiamento da campanha do Caiado, que declarou ter levantado R$ 9,3 milhões para se eleger senador. Seu amigo de partido Demóstenes Torres, alega que Caiado foi financiado pelo contraventor Carlos Cachoeira nas campanhas que disputou nos anos de 2002, 2006 e 2010. A importância que representações do agro tem dado ao enredo da Imperatriz já deu mais publicidade que dará o desfile de carnaval.

    86
    • Salete carvalho Lavras - MG

      A Imperatriz já vai desfilar perdendo pontos, ofendendo quem trabalha é muito para sustentar os brasileiros.

      3
    • Tiago Gomes Goiânia - GO

      Rapaz. . . vendo o estardalhaço, a tempestade em copo d água que foi criado com esta questão da escola de samba chego a conclusão que o nosso setor do agronegocio cai na vala comum de movimentos sociais como feministas, homossexuais, etc,onde qualquer coisa vira uma ofensa, uma discussão sem limites.

      Vamos para o que interessa pessoal, temos muita coisa séria a discutir senhor Caiado. Não tente se promover em cima de coisa miúda.

      28
    • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

      Tiago, tua opinião consegue ser mais lixo que o enredo da escola de samba. Você não conhece nada, nem ambientalismo, nem gaysismo, nem feminismos, nem grupo algum de minorias unificados pela ideologia, você é um ignorante completo. E chega às raias da imbecilidade quando tenta pautar uma área de comentários que pertence aos produtores, o Fala Produtor.

      7
    • EDMILSON JOSE ZABOTT PALOTINA - PR

      Tiago , você com este seu comentário deve ser um funcionário Público de Brasília , que não temo mínimo de conhecimento do Agronegócio e de quem é do setor Produtivo , você é mais um daqueles que só sabe gastar o que nós é demais produzimos. E deve estar ancioso para que chegue logo os feriados de Carnaval p poder não fazer nada . Que aliás deve ser sua profissão de funcionário público que pouco produz salva algumas excessões.

      Antes de falar que nós ou a sociedade seria faz uma tempestade em um copo d'água deveria conhecer a Realidade do Brasil , fora deste Depósito de Lixo que é Brasília.

      3
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Sr. Tiago, aceito o seu desafio ... "Vamos para o que interessa pessoal, temos muita coisa séria a discutir senhor Caiado"... Faça um favor, cite TRÊS coisas sérias, para começarmos a discutir... OLHE BEM ... ESTOU PEDINDO TRÊS COISAS SÉRIAS... Mas se for demais, cite UMA ...

      1
    • Tiago Gomes Goiânia - GO

      Bom dia pessoal.

      Um pouco atrasado devido aos afazeres, mas bora lá.

      Sr. Rodrigo Polo pela sua opinião, composta de plena arrogância, na qual chama minha opinião de lixo, cita minha possível imbecilidade, etc não a muito o que comentar. Lamentável, se apega a uma discussão rasa.

      Sr. Paulo três pontos de minha vivência em pecuária leiteira...Preço minímo para leite, ou garantias indiretas para preço de leite. Enquanto o setor de cereais vira e mexe consegue subvenção nos preços, seja de modo direto e indireto nosso setor fica a deriva, não por acaso o indíce de abandono da atividade é alto.

      Seguro rural factível para todas áreas. Discute-se muito um seguro rural utópico, no qual em tese o estado seria um pai salvando seu filho. Precisamos de seguro rural realista e que contemple todas as áreas do agro. Vejo que isso esta caminhando para acontecer com discussão entre todos os elos do agronegócio.

      E algo simples, pontual mas que eu e minha família passamos por esse problema recente, por dois anos seguidos...qualidade das sementes vendidas. Embora haja um prótócolo junto ao MAPA as empresas produtoras de sementes vem abusando na péssima qualidade das sementes produzidas, problemas com germinação estão sendo recorrentes. Por mais que encaminhamenos laudos atestando isso, a compensação demora o que muitas vezes inviabiliza o replantio. No mais acaba que temos de judicializar a situação.

      Enfim, são diversos pontos que pudemos discutir aqui, já discuti muitos temas sérios aqui (estou ausente ultimamente) já conversei ao vivo com João Batista algumas vezes em seu programa debatendo diversos temas. No entanto, neste caso específico do carnaval, achei sim um exagero a atitude do setor quanto a temática da imperatriz.

      0
    • Tiago Gomes Goiânia - GO

      Como agronômo já trabalhei em muitos casos relacionados ao baixo xingu no mato grosso. Devido a

      1
  • Arilson Ramos Feliz Natal - MT

    Tem que parar judicialmente essa escola.. Isso é uma acusação sem provas e fora da realidade é crime....

    6
    • Pedro Luiz Bezerra Pedroso Sorriso - MT

      Precisa os representantes do setor o agronegócio, parar de fazer notas e repúdios e partir para a ação: Mover uma ação cível publica pedindo o afastamento desta Escola neste ano e nos próximos dois anos. Assim um juiz põe ordem e determina esta punição em nome de todo povo brasileiro. Juiz já paralisou o Watts App porque não pode impedir esta Escola de realizar o desfile!

      5