Setor privado discute propostas para fortalecer seguro rural

Publicado em 24/05/2019 18:20
242 exibições

A Comissão Consultiva dos Entes Privados do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural discutiu, esta semana, as propostas do setor privado para fortalecer o seguro agrícola no País. A reunião aconteceu em Brasília, na sede da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), que é coordenadora do colegiado.

“Dois pontos são muito importantes na atual conjuntura: o setor privado precisa ser protagonista e o seguro rural precisa ser atrativo e não obrigatório”, afirmou Pedro Arantes, coordenador da Comissão e analista de mercado da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg).

Arantes ressaltou que, no curto prazo, o modelo atual de seguro rural brasileiro avançaria se houvesse regularidade e previsibilidade nos recursos do governo destinados para a subvenção. “Além disso, a falta de transparência sobre se o produtor será beneficiado ou não com a subvenção também é um inibidor desse mercado.”

Para o grupo, as propostas estruturantes para o modelo brasileiro de seguro rural, apesar de serem distintas, apresentam pontos convergentes. “Sendo um mitigador de risco, o seguro rural deveria proporcionar uma taxa de juro menor nos financiamentos aos produtores que o fizerem,” ressaltou Pedro Arantes.

“É importante entender o momento em que estamos demandando esse tipo de discussão, pois tudo está mudando, tanto o crédito quanto a economia. Precisamos, portanto, ter novas propostas para o crédito rural, sendo o seguro a base desse novo modelo”, comentou Antonio da Luz, vice-presidente da Comissão de Política Agrícola da CNA.

Fernanda Schwantes, assessora técnica da Comissão de Política Agrícola da Confederação comentou que, em breve, a CNA irá divulgar o estudo que estima a demanda real por seguro rural.

“Com base nesse estudo, será possível propor ao governo com maior precisão qual é o montante de recurso necessário para subvenção, considerando as especificidades das culturas e os produtos de seguros disponíveis no mercado.”

A Comissão Consultiva é formada pela CNA, Federações Nacionais das Empresas de Resseguros (Fenaber), de Seguros Rurais (Fenseg), dos Corretores de Seguros Privados e de Resseguros, de Capitalização, de Previdência Privada, das Empresas Corretoras de Seguros e de Resseguros (Fenacor), Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e Instituto Pensar Agro (IPA) da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA).

Tags:
Fonte: CNA

0 comentário